"Máscaras faciais são equipamentos básicos nesta nossa luta contra a epidemia", afirmou a Foxconn numa mensagem publicada na rede social WeChat.

"Cada segundo conta nesta batalha e quanto mais cedo pudermos fornecer esse material, mais cedo poderemos parar a epidemia e salvar vidas", afirmou.

A Foxconn é líder mundial na montagem de dispositivos eletrónicos e muitas empresas dependem dela para fabricar produtos como iPhones, televisores e laptops.

As  suas fábricas na China vão retomar a atividade a 10 de fevereiro, após o feriado do Ano Novo Lunar.

"Planeamos produzir 20 milhões de máscaras até ao final de fevereiro", afirmou o grupo.

A disseminação da doença levou o governo chinês a pedir à comunidade internacional doações de suprimentos médicos, especialmente máscaras cirúrgicas, roupas e óculos de proteção.

No total, 636 pessoas morreram, e mais de 31.000 foram contaminadas na China continental pelo novo coronavírus, segundo dados oficiais.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.