“Sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, certamente vai mais longe”, Clarice Lispector

Enquanto uns preferem o ritmo solitário e o silêncio à sua volta, outros optam pela descontração de não terem o ritmo controlado ao segundo e poderem desfrutar de companhia enquanto se exercitam.

Um bom corredor sabe que o planeamento é fundamental no treino quer seja a nível da distância, ritmo ou condição física em geral, para melhorar a sua performance e alcançar os seus objetivos. Quer na versão acompanhado ou a solo, esta melhoria pode acontecer, contudo há quem se identifique mais com um perfil do que outro.

A corrida solitária tem uma componente mais individualista, onde estamos mais focados nos nossos pensamentos e com a gestão de tempo realizada à nossa vontade, contudo esta vertente introvertida pode limitar a nossa evolução enquanto corredores. A experiência de grupo faz de nós atletas mais equilibrados e, talvez, com uma maior janela de progressão.

Em partilhas com alunos sobre este tema, retive o relato de uma aluna ao dizer-me que gostava de correr sozinha para "limpar a alma": corria, chorava e sorria! Para ela correr era uma terapia, uma  descompressão do dia a dia, quase que uma meditação consciente e por isso gostava de ir apenas com a sua própria companhia. Por outro lado, um outro aluno partilhou comigo que o facto de correr em grupo fez com que nunca mais arranjasse desculpas quando chega a hora de o fazer, e até mesmo de desistir ou parar durante a prática. Veja, em seguida, alguns benefícios sobre as diversas modalidades e descubra o que é melhor para si.

1. Correr sozinho

Correr sozinho
créditos: Holmes Place

Na verdade quem corre sozinho tem a liberdade de escolher o seu ritmo e não estar dependente da passada de terceiros, assim como o percurso escolhido pode ser ao seu gosto ou modificar a sua trajetória de acordo com o seu estado de espírito. Ao fazê-lo sozinho não fica dependente do ritmo do parceiro, que pode ser desmotivante por ser mais lento do que o seu ou altamente desgastante se não conseguir acompanhar um ritmo mais acelerado.

Uma grande vantagem de correr sozinho é poder ajustar o treino à sua condição física ou a um objetivo específico da corrida, por exemplo tendo um maior foco na passada, na postura, em como controlar a respiração e assim aumentar a sua eficácia. Se tiver a recuperar de uma lesão poderá controlar o ritmo, ouvindo o seu corpo e ajustando-o às suas reações.

2. Correr com companhia

Correr acompanhado
créditos: Holmes Place

A vantagem de correr com companhia deve-se à quebra de monotonia do treino, podendo sempre pôr a conversa em dia quando vai a um ritmo confortável para ambos. A nível de segurança pode também ser mais vantajoso já que é facilmente mais visível, e se necessitar de ajuda para um eventual percalço é sempre bom ter alguém por perto.

A corrida em grupo também aumenta o nível de compromisso com a tarefa, assim como a motivação de "não ir sozinho". Sabe-se ainda que esta faz com que aumentemos o ritmo sem termos noção, o que inconscientemente faz aumentar o nosso desempenho. Treinar acompanhado também nos incentiva a diversificar o treino, a aprender com os outros e a arriscar a fazer treinos diferentes.

3. Grupos de corrida

Grupo de corrida
créditos: Holmes Place

Atualmente existe o fenómeno de grupos de corrida que são uma forma cada vez mais comum de incentivar os participantes à ação. Este ambiente promove maiores níveis de motivação, de envolvimento e, consequentemente, a adesão continuada à prática. Os grupos têm como propósito influenciar o comportamento e promover o exercício físico. Aliás, grupos de exercícios coesos e de forte ligação predizem uma maior adesão e aumentam a satisfação na tarefa.

Se está a iniciar-se nesta prática, juntar-se a um grupo de corrida pode ser uma excelente forma de manter-se focado e motivado na corrida.

 Com tantas vantagens de correr sozinho e acompanhado, afinal o que é que é melhor para mim?

Seguramente a combinação dos dois. Correr sozinho pode ter o seu lado positivo permitindo uma maior conexão e relaxamento com o meio interior e ajustar o seu treino de acordo com as suas necessidades. Contudo treinar com um amigo ou em grupo poderá desafia-lo a correr mais depressa, a ir mais longe e a experienciar outros estímulos.

Sozinho ou acompanhado o mais importante é manter-se em movimento, por isso boas corridas!

"100% de mim não é nada comparado a 1% de toda a equipa", Eliud Kipchoge

Ana Andrade – Personal Trainer Holmes Place

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.