Tem medo de agulhas? Perca-o, em nome do seu bem-estar! Os benefícios desta terapia de origem chinesa justificam-no.

Integrada na medicina tradicional chinesa, pressupõe a estimulação de pontos ao longo dos meridianos do corpo (ligados aos órgãos e à sua energia ou a áreas anatómicas), através de várias técnicas, sendo a mais comum a inserção de agulhas.


De acordo com a Associação Portuguesa de Acupunctura e Disciplinas Associadas (APA-DA), «os pontos de acupuntura são locais de poucos milímetros quadrados, ao longo dos meridianos que através de determinada técnica de punctura podem influenciar o fluxo de energia no organismo, de acordo com o efeito terapêutico pretendido, resultado do diagnóstico energéticos».

Existem centenas de pontos (só no pavilhão auricular, por exemplo, são mais de uma centena) que, para além de uma função ligada à tonificação e desbloquamento de energia, têm uma função orgânica. A maioria das pessoas que recorre a este ramo da Medicina Tradicional Chinesa relata não sentir dor ou apenas um ligeiro incómodo associado à inserção das agulhas.

Cuidado com a escolha do acupunctor

É fundamental procurar um acupunctor credenciado e com experiência, dada a complexidade da conjugação dos pontos dos meridianos. A APA-DA alerta para o facto de a selecção de pontos dever ser «rigorosa e estar de acordo com o diagnóstico energético, sob pena de induzir perturbações energéticas que em nada contribuirão para o restabelecimento da saúde do paciente».

Para além disso, a prática incorrecta da acupunctura pode traduzir-se, por exemplo, no desenvolvimento de infecções. Segundo o Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos da América, têm sido relatados poucas complicações associadas a este tipo de terapia. As que foram registadas devem-se à não esterilização das agulhas e à má aplicação dos tratamentos.

O que diz a ciência

Segundo a Organização Mundial de Saúde, comprovou-se a eficácia da acupunctura no «alívio da dor no
pós-operatório, naúseas durante a gravidez, naúsea e vómito resultante da quimioterapia, dores de dentes, com muitos poucos efeitos secundários».

«Também pode aliviar a ansiedade, a perturbação de pânico e insónias», sublinha este organismo.

Um estudo norte-americano revela ainda que a acupunctura reduz a frequência e severidade de alguns tipos de dores de cabeça, mas a sua eficácia em cefaleias crónicas diárias ainda não foi estudada.

Paralelamente, uma investigação realizada em conjunto pelo National Center for Complementary and Alternative Medicine (NCCAM) e pelo National Institute of Arthritis and Musculokeletal and Skin Diseases apurou que esta terapia
é um aliado para quem sofre de osteoatrite do joelho.

E mais, recentemente, uma investigação da Universidade do Arizona chegou à conclusão que per se a acupunctura não permite tratar a depressão, mas é uma terapia segura e pode ser positiva para algumas pessoas.

Texto: Nazaré Tocha

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.