A sensação já é uma velha conhecida de quem não resiste a uns festejos bem bebidos. Após um estado inicial de euforia e de desinibição em festas e celebrações, segue-se um estado que tende a ser marcado por episódios de sonolência e dificuldades de movimentação. A diminuição da capacidade de atenção e compreensão e/ou fadiga muscular é outro dos principais sintomas da ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.

Uma situação que tende a repetir-se em períodos de festas de fim de ano e também nos meses de maior calor, mais propícios ao convívio. Nessas alturas, tal como na noite de Natal e a de Ano Novo, datas sempre associadas às festas em que se bebe de mais, já se sabe que, no dia a seguir, a cabeça vai pesar, a boca vai pedir água e o corpo vai pedir descanso. Para minimizar esta situação, há uma série de coisas que pode fazer.

Siga os conselhos de especialistas que lhe reunimos neste artigo e evite passar o primeiro dia do ano ou qualquer outro com ressaca. Adotando todos os conselhos recomendados conseguirá evitar a ressaca ou ultrapassá-la mais facilmente. Independentemente das suas razões para festejar, o mais importante é que passe bons momentos junto dos que mais gosta, sem prejudicar o seu bem-estar e a sua saúde.

A intoxicação aguda de álcool, muito comum após tardes e/ou noites de animação bem regadas, resulta habitualmente numa variedade de sintomas conhecidos como ressaca, nomeadamente dores de cabeça, náuseas, boca seca, tonturas, desconforto gastrintestinal, falta de apetite e/ou suores. Estes são os (outros) comportamentos a adotar antes, durante ou depois do período de ressaca para os evitar:

- As bebidas alcoólicas escuras como o vinho tinto, o uísque e o brandy provocam maiores ressacas pelo seu elevado teor de álcool, aditivos e produtos químicos. Evite-as ou consuma-as com muita moderação.

- As bebidas alcoólicas brancas, como o vinho branco, a vodca e o gin provocam efeitos menos nocivos e perigosos. Evite-as ou consuma-as também com muita moderação.

- Beba um copo de leite antes de uma bebida alcoólica. Segundo John Emsley, especialista da Sociedade Real de Química, "o leite diminui a absorção do álcool, o que significa que o corpo terá menos quantidade de acetaldeído".

- Como prevenção, experimente consumir as bebidas alcoólicas lentamente e intercalá-las com água. Por cada copo de vinho ou de espumante, por exemplo, beba um copo de água.

- Cientistas internacionais dizem que o mel é uma preciosa ajuda quando se está de ressaca, por combater a substância tóxica produzida pela absorção do álcool no corpo. Um grupo de cientistas da Sociedade Real de Química sugerem mesmo que coma torradas com mel. Este alimento é rico em potássio e sódio, nutrientes que ajudam a combater o acetaldeído, substância tóxica produzida pela absorção do álcool pelo organismo.

- Informe-se antecipadamente sobre as bebidas para evitar as mais nocivas para o organismo. No topo da lista surgem as aguardentes, o uísque, o conhaque, a vodka e outras bebidas brancas.

- Alimentos leves e ricos em fibras, como legumes, frutas e verduras, devem constituir a base da alimentação de quem se excedeu durante a noite anterior.

- Evite a toma de medicamentos sem prescrição médica. Ao contrário do que possa pensar, o seu consumo não ajuda a aliviar os efeitos da ressaca.

- Ingerir bebidas isotónicas e energéticas também é uma boa opção para enfrentar os períodos de ressaca, uma vez que estas devolvem as vitaminas e minerais que o álcool destruiu.

- Sendo a ressaca o efeito da desidratação do corpo, deve beber muitos líquidos, nomeadamente sumos naturais de abacaxi, laranja e limão, para ajudar o organismo a repor as vitaminas e os minerais. Os chás e as infusões de ervas também são uma boa opção. Deve também ingerir muita água de modo a hidratar e purificar o organismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.