Vão ser três dias de conversas abertas, provas, almoços, jantares, apresentação de ideias, de projetos e de negócios, os que vão ocupar a primeira edição do Melting Gastronomy Summit. O encontro levará a palco dezenas de figuras ligadas, direta ou indiretamente, ao mundo dos sabores.

Entre as conversas agendadas, a 14 de novembro, “Os Sentidos da Gastronomia”, terá a apresentação de Rafael Ansón, da Academia Europeia de Gastronomia. Miguel esteves Cardoso, apresentar-se-á como moderador do tema “Simplificar é um dever”, com presença de Filipa Pato, enóloga, Maria Manuel Valagão, investigadora, Noélia Jerónimo, chefe de cozinha.

Ainda neste primeiro dia de encontro, temas como “Os dez mandamentos da cozinha”, a “Crítica” e “O novo pão de antigamente”, ocuparão os trabalhos.

Já a 15 de novembro, “State of the art and what can we do?” levará a palco Anna Elisa de Castro, chefe de cozinha, Miguel Rocha Vieira, chefe de cozinha e Francisco Goiana da Silpa, médico. As “Tendências da alimentação, nutrição e saúde para 2020”, “Do produtor para a mesa” e o “Potencial de resposta do setor agrícola aos novos desafios da gastronomia”, centrarão o debate.

Também no recinto do evento, decorrerá um “Melting Market”, com a presença de 60 produtores, a pretexto de potenciar a proximidade entre estes e o consumidor, assim como a transparência na descrição dos produtos e do modo de produção”.

Integrado no “Melting Market”, o “Melting Lab” será um espaço de experiências onde se apela às sensações com foco especial no olfato e no paladar. Em pleno mercado, estará uma cozinha equipada e uma agenda de demonstrações de produtos com preparação pelos chefes convidados. Aí, decorrerão apresentações, provas e harmonizações para os visitantes conhecerem e se inspirarem para formas de preparar os produtos disponíveis no mercado.

E porque os olhos também comem, o Melting Gastronomy Summit vai apresentar, em parceria com o Devour! Food Film Festival, os filmes vencedores deste festival canadiano. Os visitantes terão acesso a documentários, curtas e longas metragens em que as câmaras estão apontadas para os pratos.

O evento contará, ainda, com a presença do artista plástico portuense Ricardo Nicolau de Almeida. Desde 2014 que este artista tem armazenado, categorizado, separado por cor e funcionalidade inúmeros objetos de plástico, ou detritos marinhos, encontrados na praia.

São restos de garrafas, caixas, palhinhas, bonecos, botas, tabuleiros, chupetas, Ricardo Nicolau de Almeida encontra utilidade artística e enquadramento estético em todo o “plástico marinho”. Instalação, escultura, imagem e vídeo são formas de expressão do seu trabalho e as peças são usadas em prol da luta contra a poluição ambiental, montando uma vaga a que chama "artivismo".

A 16 de novembro um jantar vai juntar alguns dos mais promissores chefes de cozinha, responsáveis por restaurantes de norte a sul de Portugal.

No decorrer do evento será, ainda, apresentada a Confraria da Dieta Atlântica, envolvendo entidades galegas e portuguesas. Nesse contexto, será lançado o manifesto para a candidatura da Dieta Atlântica a Património Imaterial da UNESCO.

A merecer destaque a iniciativa “Melting Stories”. Esta área terá como objetivo juntar as pessoas à volta dos livros. Muitos dos oradores, moderadores e participantes no Melting são também autores. Desta forma, perante os visitantes terão a oportunidade de desvendar as histórias por trás das receitas, os pensamentos que surgem antes dos livros.

A Melting Gastronomy Summit é promovido pela Associação para a Promoção da Gastronomia e Vinhos, Produtos Regionais e Biodiversidade (Agavi).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.