Espreite os lineares dos supermercados, os cestos da mercearia do seu bairro, até mesmo o frigorífico (quantas vezes nos surpreendemos com o que dentro dele encontramos) e um mundo de sabor e de cor se abrirá.

Cherovia (também a conhecemos como pastinaga), mandioca, brócolos, abóbora, cebola, couve-de-bruxelas, tomate, funcho, curgete, espargos, um infindável elenco de alimentos, espreitam em busca da oportunidade de lhe garantirem à mesa diversidade no acompanhamento, ou mesmo como refeição principal.

Como assar todos os tipos de vegetais
Como assar todos os tipos de vegetais
Ver artigo

Tudo isto com uma cereja no topo do bolo: são pouco exigentes, casam na generalidade muito bem entre si e proporcionam-nos uma refeição que agrada a todos os palatos.

Há, contudo, que saber mimar estes alimentos nutricionalmente ricos. Não queremos um assado estorricado, antes caramelizado com as propriedades dos vegetais. Queremo-los estaladiços, ainda viçosos.

Faça a sua seleção de vegetais, não se acanhe

Vamos por partes. Façamos uma seleção de seis vegetais para este nosso assado: cherovia (uma prima da cenoura), cenoura, abóbora, couve-flor, beringela, batata-doce laranja. No final conte com perto de um quilo, somados todos os ingredientes.

Trata-se, somente, de uma sugestão. Pode combinar os ingredientes por cor, por opostos de tonalidade, por exemplo.

No corte também está o segredo

Importante é que corte todos os vegetais com uniformidade de tamanho, obedecendo à regra de o fazer em pedaços pequenos. Uma operação muito importante para assar todos os alimentos em tempos idênticos.

No caso dos vegetais propostos pode deixar-lhes as cascas, são nutricionalmente interessantes e saborosas. Cuide de lavar bem os vegetais antes de os cortar.

30 minutos do seu tempo e a infalível técnica para ter um assado de vegetais perfeito

Agora, o azeite com conta peso e medida

Posto isto, vai levar os seus vegetais a uma tigela larga e misturá-los com azeite (extra virgem é opcional) ou óleo de coco. Não os encharque no azeite. Duas ou três colheres de sopa serão o bastante para os deixar untuosos, com um tom lustroso muito fotogénico.

Não hesite em pôr a mão na massa. É crucial nesta fase conferir homogeneidade a todos os alimentos. E, não menos importante, uma pitada de sal fino (uma colher de sobremesa rasa será o bastante) e pimenta-preta, se esta última for a seu gosto. Não hesite se considerar interessante adicionar um pouco de tomilho, ou alecrim. Não há uma regra imposta, trata-se do seu gosto e vale improvisar.

O forno à temperatura certa

Nesta altura já terá o seu forno doméstico a pedir-lhe os vegetais. Isto porque, previamente, lhe deu temperatura. O ideal é aquecer entre os 200 e os 220 ºC.

Não os limite, dê espaço aos seus vegetais

Untados os vegetais, vai agora levá-los a uma assadeira. Escolha-a larga, pois os seus alimentos querem espaço para respirar. Espalhe-os na superfície da assadeira. Um assado uniforme não pede vegetais em modo sardinha em lata. O resultado neste caso? Não irão assar, antes estufar nos seus próprios sucos e o resultado final irá defraudar.

Resista à tentação, nesta fase, de acrescentar mais azeite (ou outro óleo alimentar) aos seus vegetais.

Ao fim de 20 a 25 minutos pique os alimentos. Se lhe parecem tenros, embora ainda firmes, aos dentes do garfo, estará na hora de terminar o assado. Acresce que devem apresentar um tom vivo (não baço) e os extremos levemente caramelizados (torrados).

Um almoço integralmente biológico onde carne e peixe não metem a colher
Um almoço integralmente biológico onde carne e peixe não metem a colher
Ver artigo

Tenha em consideração que os vegetais mais duros, como a batata e as cenouras, cozinham mais lentamente. Os mais macios, como a abóbora, mais rapidamente. Uma cenoura assará em 30 minutos, umas pontas de espargos carecem de apenas 10.

Desta forma, não descarte a possibilidade de, seguindo esta regra, mais macio/mais duro, separar os vegetais por duas assadeiras. Pode, assim, gerir a maciez com mais facilidade.

Esta pronto. Tão simples como isto e extremamente gratificante. Porque não juntar ao seu assado um pouco de seitan? Ou mesmo fruta fresca e frutos secos? Um assado que vai acompanhar muito bem, por exemplo, um tabuleiro de carne no forno (cozinhando-os separadamente).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.