Cozinhar alimentos sem as devidas precauções de higiene pode conduzir a contaminações cruzadas e intoxicações alimentares. Os programas de televisão com Chefes profissionais são vistos por grandes audiências em todo o mundo e são percecionados como fontes de entretenimento, mas têm capacidade para serem, também, uma poderosa ferramenta educacional e para ensinarem milhares de pessoas sobre segurança alimentar em casa.

Mais de 100 episódios de programas de culinária foram visualizados no estudo, focando um prato de cada vez. Contudo, alguns chefes prepararam vários pratos em simultâneo – potenciando a hipótese de contaminação cruzada. A lavagem das mãos é um princípio básico da higiene alimentar, mas nenhum dos chefes foi visto a lavar as mãos antes de cozinhar. Um chefe mencionou a lavagem de mãos antes de começar a preparar a comida e metade dos chefes observados mencionaram a lavagem de mãos depois de mexer na carne. 21 dos 24 chefes mexeram em carne crua sem lavar as mãos.

Outros erros dos chefes incluem acrescentar comida (79%) e mostrar comida (38%) com as mãos enquanto cozinham ou depois de cozinhar – incluindo quando a comida não ia ser mais cozinhada. Apenas um terço dos chefes demonstraram tábuas de corte ou superfícies seguras – outros falharam na lavagem das tábuas depois de cortar carne crua, ou prepararam carne crua e alimentos prontos a cozinhar na mesma tábua. A maior parte dos chefes (96%) usaram a cor da carne para determinar visualmente se estava cozinhada, enquanto apenas seis chefes (25%) usaram um termómetro, tal como recomendado pelas agências de segurança alimentar. Além disso, 88% dos chefes recomendaram tempos de cozedura e 58% comentaram a textura que a carne deveria ter quando cozinhada.

Qualquer destes comportamentos demonstrados na televisão podem conduzir a contaminação cruzada e intoxicação alimentar. O estudo recomenda que os programas de culinária na televisão incluam comunicação básica e demonstração de práticas de segurança alimentar para promover bons hábitos em casa.

O estudo reviu 100 episódios de programas de culinária, apresentados por 24 chefes diferentes, entre 30 séries de TV (como por exemplo Jamie at Home, Nigelissima ou Gordon Ramsay’s Home Cooking) disponíveis em diversas fontes online, tal como Netflix ou Amazon. Todos os episódios incluíam a preparação de pelo menos um prato de carne (vaca, porco, galinha). Um questionário baseado na lista de comportamentos de segurança alimentar, tanto positivos como negativos, foi desenvolvido para suportar as observações enquanto os programas eram visionados.

Pesquisas semelhantes feitas anteriormente revelam que os programas de culinária na televisão europeia demonstram frequentemente manipulação pouco segura dos alimentos e ausência de medidas que previnam intoxicações alimentares. Um estudo de 2014 propunha que os programas televisivos deveriam guiar-se pelas recomendações de segurança alimentar (por exemplo: cinco chaves para uma alimentação mais segura desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde), aproveitando a oportunidade para transmitir mensagens simples mas importantes a uma audiência de massas.

A segurança alimentar é um assunto público relevante. Todos os anos, mais de 23 milhões de pessoas ficam doentes devido a intoxicações alimentares na Europa, resultando em aproximadamente 5000 mortes. A manipulação errada de alimentos ou a má prática de segurança e higiene alimentar são causas comuns de intoxicação.

Fonte: EUFIC

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.