Miuccia Prada, continua fascinada pelas "dualidades" relativas às vidas das mulheres. No desfile de ontem foi notório o constante diálogo e luta das mulheres entre aquilo que as mesmas devem fazer para serem fortes e ativas com aquilo que herdaram em termos de feminilidade. A designer confirma toda essa dualidade e afirma "É o problema do meu trabalho. E é algo que ainda não está claro."

Assim, aquilo que começou por ser um apontamento de tons terra cresceu para uma série de trajes de cores fluorescentes: túnicas verdes reflexivas, tops cor de rosa e laranja neon, saias de franja de plástico amarelas, sandálias laranja e verde neon, chapéus, entre outros. Prada afirmou mesmo que as cores eram sobre liberdade "Imaginei que uma mulher podia sair à noite, parecendo super sexy, sem ser incomodada. Trata-se da liberdade das mulheres quando saem à noite ".

Igualmente inesperado foi um casaco masculino, um check coat, de mangas ¾ com acabamento em borracha preta, um blusão sem mangas sobre uma saia de franjas de plástico amarelo ácido e um vestido de tule preto em camadas sobre um conjunto saia e camisola de lã laranja. O calçado alternou entre os saltos altos atados ao tornozelo em tons neon e usados com meias com as galochas para a chuva.

Para além da apresentação da coleção outono/ inverno 2018, o desfile marcou também pela conclusão do complexo Fondazione Prada. Assim, a nova torre concluída, oferece uma visão única sobre o horizonte da cidade.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.