O preenchimento facial com ácido hialurónico é uma abordagem não invasiva muito popular que ajuda a preservar e até mesmo restaurar as linhas joviais do rosto.

É importante relembrar que o pretendido não é transformar o rosto, alargá-lo ou insuflá-lo. Chamemos-lhe um preenchimento anatómico, isto é, repor onde faz falta, restituir o que se perdeu, projetar o que caiu... Tudo isto de forma gradual, um pouco de cada vez.

As várias indicações terapêuticas do botox
As várias indicações terapêuticas do botox
Ver artigo

O triângulo da juventude tem uma forma de base superior. Um rosto harmonioso é mais alargado na região das bochechas, logo por baixo dos olhos e estreita-se em direção ao queixo. Este triângulo da juventude acaba por se inverter à medida que os anos avançam.

Contrariar a passagem do tempo

Com os fillers certos é possível atrasar esta mudança e contrariar a perda de volume e a queda da pele. O preenchimento facial anatómico obriga a uma análise facial global, uma abordagem integrada que não se pode focar exclusivamente na ruga, no sulco.

Por exemplo, se queremos tratar o sulco que se estende do nariz à boca, no limite interno da bochecha temos de o fazer em dois sítios: no sulco, onde, com o filler procuramos amenizar a sua profundidade e na bochecha, mesmo onde se projeta o esqueleto ósseo malar, para projetar essa zona e com um feito lift, diminuir a quantidade de pele que cai e marca o sulco.

Obviamente que o sulco (nasolabial) tem de ser trabalhado, mas é na zona de maior projeção do rosto, onde o triângulo é tem a base que devemos começar. A harmonia começa aqui. Restaurar a anatomia perdida.

Há cada vez mais políticos a recorrer ao botox e não é para disfarçar as rugas
Há cada vez mais políticos a recorrer ao botox e não é para disfarçar as rugas
Ver artigo

Limites

Há que explicar também que os fillers têm limites. Isto é, não podemos preencher o rosto indefinidamente se pretendemos um aspeto natural e proporcionado.

Por outro lado, necessitamos que a pele tenha condições mínimas de elasticidade para que o preenchimento possa repercutir-se numa elevação, num movimento de lift. Aquela pele muito danificada pelo sol ou pelo tabaco, que já não distende por ter perdido a elasticidade não vai responder muito bem aos fillers.

A hidratação é um aspeto muito importante associado ao ácido hialurónico. Como recrutador de água, esta macromolécula permite hidratar a pele de imediato. Um efeito tardio que lhe esta associado também, é estimulação de colagénio, induzida pela inflamação subclínica que é provocada pela sua presença nos tecidos.

As explicações são da médica Ana Silva Guerra, especialista em Cirurgia Plástica, Estética e Reconstrutiva.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.