O Centro de Investigações Epidérmicas e Sensoriais de Chanel (CE.R.I.E.S.) encontrou a principal fonte da luminosidade através da microcirculação: o V.E.G.F.(Vascular Endothelial Growth Fator - fator de crescimento do endotelio vascular).

A microcirculação é uma fonte de luminosidade. Quando funciona harmoniosamente, os microvasos sanguíneos conferem à cútis um saudável tom rosado. Do seu bom desempenho depende a qualidade e a saúde da pele.

Sem dúvida, esta pode ver-se alterada pela influência de fatores externos (contaminação, raios UV, tabaco...) e, sobretudo, pelas causas do envelhecimento. A pele, apresenta assim um aspeto apagado e perde a sua cor natural. O CE.R.I.E.S, realizou grandes avanços em matéria de microcirculação graças à investigação fundamental sobre a produção de V.E.G.F. na pele sã.

Este fator chave, produzido e difundido pelos queratinocitos, desempenha um importante papel no crescimento e na sobrevivência das células do endotelio que constituem os vasos sanguíneos. Ao estimular a sua produção regula-se a microcirculação. E uma boa microcirculação, é a principal garantia para recuperar uma tez luminosa e fresca como a da infância.

Chave da luminosidade

As investigações do CE.R.I.E.S. levadas a cabo em colaboração com a universidade de Viena (Áustria) e sob direção de Erwin Tschachler, demonstraram que, numa pele sã, os queratinocitos também são uma importante fonte de V.E.G.F. fator chave de crescimento de saúde dos vasos sanguíneos. Graças a estes resultados, a partir de agora é possível atuar com maior precisão sobre a vascularização para harmonizar a microcirculação e melhorar a saúde da pele.

A microcirculação: essencial na luminosidade
A microcirculação é a circulação do sangue nos vasos mais finos, denominados "capilares". Desempenha uma função chave no mantimento da função fisiológica normal da pele. Do seu bom funcionamento não depende só uma pele bonita, mas sobretudo, uma pele luminosa. A sua função consiste em transportar oxigénio e nutrientes, e em eliminar o CO2 e os detritos metabólicos mas, também, em regular a temperatura corporal quando esta é demasiado elevada ou demasiado baixa. Situada na derme, alimenta a epiderme, que não tem vasos capilares, e que possibilita diferentes intercâmbios. Na realidade, só alguns microns separam a epiderme dos primeiros vasos situados nas asas capilares da membrana basal, zona fronteiriça e sinuosa entre a derme e a epiderme. A microcirculação, responsável pelo tom rosado da pele, é, juntamente com a melanina, um fator essencial à tez.

A que se deve a perda de luminosidade
Se a pele está apagada e sem luminosidade, devese à deficiente microcirculação. Já não desempenha bem a sua função: eliminar as toxinas e alimentar as células através dos vasos capilares. Existem várias causas possíveis: o cansaço ocasional, as agressões externas (raios UV, contaminação...) ou internas, como o stress, que provoca uma atividade bloqueadora dos microvasos cujo efeito repercute em toda a microcirculação. Algumas substâncias tóxicas, como o fumo dos cigarros, devido a um aporte demasiado alto de toxinas, e o efeito da nicotina, detioram também o correto funcionamento da microcirculação. E, por último, um fator que tem grande influência no envelhecimento. Com a idade, a rede capilar diminui. A pele, pior alimentada pela microcirculação, já não tem a luminosidade da juventude.

Saiba mais na próxima página

V.E.G.F.

Quando atua?
Quando se produz uma situação urgente. Todo o estímulo a que o queratinocito responde (calor, frio, raios UV, substâncias químicas, stress...), vai ter como consequência a produção de mediadores, entre os quais o mais importante para a vascularização, o V.E.G.F., Quer dizer, desde o momento em que a epiderme está mal alimentada pela microcirculação e mostra sinais de sofrimento, o sistema de alarme dispara rapidamente: os queratinocitos aumentam a produção de V.E.G.F. que, enviado na qualidade de regulador, sustem os vasos e modula a microcirculação local.

Chave de crescimento e de equilíbrio na microcirculação
O V.E.G.F. é uma proteína presente na pele de forma natural. A sua função é especialmente importante já que aumenta o crescimento dos vasos sanguíneos favorecendo os intercâmbios entre a derme e a epiderme. O V.E.G.F. previne o envelhecimento das células do endotélio e é um fator chave no mantimento das redes capilares. Ao serem transportados os nutrientes pelos vasos, o V.E.G.F. desempenha um papel crucial, já que garante a regularidade e a eficácia do aporte sanguíneo essencial para a manutenção de uma pele sã e bonita.

Porquê estimular a síntese de V.E.G.F.?
- Os intercâmbios derme/epiderme melhoram, são constantes e mais eficazes.
- As células da epiderme estão melhor alimentadas, oxigenadas e livres de toxinas.
- A pele, melhor irrigada, recupera uma cor saudável.

Uma descoberta importante

Segundo Erwin Tschachler, diretor do CE.R.I.E.S., e professor de dermatologia na Universidade de Viena (Áustria), o V.E.G.F. foi uma descoberta importante, "o nosso descobrimento supõe um grande avanço no estudo dos mecanismos de autodefesa da pele sã frente às agressões e ao envelhecimento. E, sem dúvida alguma, ao dilucidar um importante mecanismo da fisiologia cutânea, abrem-se novas perspetivas para a investigação cosmética".

"Este medidor, assim como outros, é produzido pelos queratinocitos, as células mais superficiais da pele cuja importância só recentemente se valorizou. Na realidade, desempenham uma função essencial de sobrevivência e de intervenção e atuam fundamentalmente sobre a microcirculação. A falta de oxigénio é o sinal mais importante que o V.E.G.F. pode decifrar e frente à qual pode atuar.

Em caso da falta de oxigénio, a produção de V.E.G.F. aumenta, dando como resultado o crescimento dos vasos que, desta maneira, aportam mais oxigénio. Precisamente o V.E.G.F. é recebido pelas células (células endoteliais) que tapam os vasos da microcirculação e que estão situados na camada inferior da pele, a derme", refere o diretor do C.E.R.I.E.S. em relação à indução da produção de V.E.G.F.

Para Erwin Tschachler, o V.E.G.F. não é o único fator de crescimento da microcirculação produzido de uma forma natural pelos queratinocitos, "neste sistema tão complexo, podem suprir-lhe outros fatores: existe uma "solidariedade". Mas é o V.E.G.F. que desempenha o papel mais importante no sistema de reparação da pele e no mantimento da vascularização, pois "possui uma capacidade muito interessante: a de inibir o envelhecimento das células do endotélio.

Estas células, que constituem os capilares da derme presentes na membrana basal, estão aí para assegurar que os intercâmbios que se produzem na pele sejam corretos. Mas, com a idade, produz-se uma diminuição da rede capilar. O V.E.G.F. pode inibir este fenómeno, regulando a apóptosis, quer dizer, atuando como protetor das células. E sabe-se que tanto uma microcirculação equilibrada como uns intercâmbios corretos são fundamentais para a luminosidade da pele" refere Erwin Tschachler.

Agradecimentos: Centro de Investigações Epidérmicas e Sensoriais de Chanel
Fotografia: Chanel

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.