À noite, a epiderme aproveita o período de descanso para se desintoxicar e para recuperar os componentes e as funções danificados durante o dia, intensificando os mecanismos naturais de regeneração celular. É, por isso, o momento em que as células estão mais recetivas a qualquer cuidado hidratante, reparador anti-idade ou energizante. E é também por isso que os cremes de noite incluem nas suas fórmulas ativos especificamente desenvolvidos para esse efeito.

Assim, um bom creme de noite deve aumentar a capacidade de reparação e rejuvenescimento natural da epiderme, de forma a que, ao acordar, ela esteja preparada para um novo ciclo. Para que possa preservar a saúde e a beleza da sua pele, saiba quais são as recomendações que deve seguir. Como nem todas as mulheres têm o mesmo tipo de epiderme, há vários condicionantes a ter de ter em linha de conta, como adverte o médico dermatologista Fernando Guerra.

Posso usar um creme de dia à noite?

A resposta é... nim! Tal como explica Fernando Guerra, "tudo depende das substâncias incluídas na formulação do cosmético em questão e das percentagens das mesmas". "Geralmente, ao contrário do que sucede com os cremes de noite, um creme de dia deve incluir proteção solar e deve ser menos espesso e menos concentrado em substâncias ativas", acrescenta ainda o especialista. Da próxima vez que for às compras, tenha todos estes aspetos em conta.

Quais são os princípios ativos que devo privilegiar?

Sendo a altura mais indicada para fazer tratamentos mais profundos ou mais específicos, a noite não descarta a obrigação de procurar princípios ativos adequados ao seu tipo de pele. O dermatologista Fernando Guerra diz-lhe quais as substâncias certas para cada problema. "O envelhecimento cutâneo manifesta-se pelo aparecimento de rugas, de pele baça e de pele grossa, flácida, sem luminosidade, com alterações de pigmentação e maior secura", refere.

Para cuidar de uma pele com estas características, Fernando Guerra propõe o uso de cosméticos ricos em retinol e ácido retinoico. "Tanto para as rugas como para as manchas", sublinha o médico dermatologista. Para tratar rugas, o especialista sugere cremes como fórmulas que contenham ácido alfa-lipóico e alfahidroxiácidos, como o ácido glicólico e a vitamina C. Para as manchas, Fernando Guerra aconselha produtos com "ácido fítico, ácido kójico e hidroquinona".

Texto: Madalena Alçada Baptista com Fernando Guerra (médico dermatologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.