Não há quem o destrone na hora de rejuvenescer
o terço superior do rosto, além
de muitas outras aplicações em que o seu
uso tem sido bem sucedido. Muitas celebridades já não o dispensam.

Mas, se ainda
lhe restam dúvidas acerca da toxina botulínica,
o dermatologista Francisco Carvalho
Domingues responde-lhe a todas as
questões que possa ter.

1. O que é o botox?

É uma apresentação farmacológica
da chamada toxina botulínica de tipo
A, que se gera a partir da bactéria
clostridium botulinum. Esta toxina,
com fins terapêuticos, é produzida
com o nome comercial de Botox por
um laboratório, mas estão disponíveis
outras apresentações no mercado
farmacêutico.

2. Como atua?

A administração desta toxina permite o
desejado relaxamento muscular periférico
nos músculos. O seu efeito é obtido por
um bloqueio da libertação da acetilcolina
nos terminais nervosos colinérgicos pré-sinápticos. Pouco depois da sua aplicação
muscular por via intradérmica, a
toxina penetra na membrana plasmática
e chega ao citosol, inibindo progressivamente
a libertação da acetilcolina, responsável
pelo mecanismo da contração
das células musculares.

3. Quanto tempo
dura o seu efeito
relaxante?

Pode variar entre três a sete meses, isto
nas aplicações faciais que procuram um
efeito estético. Em algumas outras aplicações,
como por exemplo na hiperhidrose
primária (axilar, palmar ou plantar), a
sua eficácia pode chegar a atingir um ano.

4. Pode ter efeitos
secundários?

Tal como a maioria dos procedimentos
médicos, esta aplicação intradérmica não está totalmente isenta de
riscos, no entanto, estes são pouco
frequentes, quase sempre transitórios,
e de pequena importância.
Os mais comuns são o desconforto
nos locais das punções (que se
pode diminuir com o uso de creme
anestésico), dor de cabeça (passa ao
fim de 60 a 90 minutos), pequenos
hematomas (absorvidos numa semana).
O efeito mais desagradável é a
ptose palpebral (pálpebra descaída),
que resulta da aplicação demasiado
próxima ou no próprio músculo elevador
da pálpebra.

5. Como se descobriu
o seu uso estético?

Após algum tempo da sua aplicação
inicial, em casos de estrabismo e
blefarospasmo, observou-se uma
redução de algumas rugas periorbitárias.

6. Desde quando
é utilizado com
esse fim?

As primeiras aplicações iniciaram-se
em 1978, quando uma paciente, cujo
estrabismo estava a ser tratado com
toxina botulínica, referiu que as suas
rugas se atenuavam.

7. Por que razão
agrada a tantas
pessoas?

Principalmente, pela sua eficácia no
tratamento e melhoria das rugas da
face. É uma extraordinária técnica
médico-estética para apagar ou diminuir
vários tipos de rugas e sulcos
de expressão demasiado acentuados
na região frontal. A relativa simplicidade
da sua aplicação (uma sessão
de dez a 25 minutos) sem anestesia geral e sem internamento tornou-o o
procedimento médico-estético mais
solicitado e realizado em todo
o mundo.

Veja na página seguinte: Para que idades
é recomendado?

8. Durante muito
tempo, foi associado
a rostos sem
expressão. Por que
razão?

Devido à infiltração de doses excessivas
de toxina botulínica e à aplicação
em músculos cuja capacidade contrátil
deve ser mantida, pelo menos
parcialmente, por colaborarem na
ginástica facial inerente à nossa
expressividade.

9. Para que idades
é recomendado?

Pelo menos em teoria, dos 18 aos 65
anos. No entanto, será excecional
justificar-se uma correção de rugas
aos 18 anos, assim como é possível
algumas pessoas poderem apresentar
uma boa resposta ao botox após
os 65 anos.

10. Pode ser usado
como tratamento
preventivo?

A aplicação periódica de botox, respeitando
os intervalos aconselhados,
retarda a acentuação de mais e maiores
rugas de expressão, já que o seu
efeito vai atenuar a intensidade das
contrações dos músculos faciais.

11. Com que outras
técnicas se pode
combinar?

Com técnicas de preenchimento (por
exemplo, ácido hialurónico), peelings
de variada profundidade, mesolifting,
entre outras.

12. Em que casos
está contraindicado?

Quando se está medicado com anticoagulantes
ou anti-inflamatórios (tipo
aspirina) e se padece de alguma doença
da coagulação sanguínea, bem como em
caso de alterações do estado psicológico
(depressão), quando a pele apresenta
alguma doença nos locais previstos para
a aplicação (herpes simplex) e quando o
paciente apresente um estado de saúde
débil ou doença febril. Por fim, certas
doenças neuromusculares são uma
contraindicação expressa.

13. Quantas sessões
são necessárias?

Cada sessão vale por si própria e irá proporcionar
o efeito desejado.

14. Quem pode
aplicar botox?

Segundo as normas aprovadas pelo Infarmed,
a aplicação de botox está reservada
a médicos. Os profissionais mais habilitados
serão os médicos especialistas em
cirurgia plástica, estética e reconstrutiva,
os dermatologistas, otorrinolaringologistas
e oftalmologistas.

15. Por que é que
o efeito dura mais
numas pessoas
do que noutras?

Por norma, as duas ou três primeiras
aplicações têm uma durabilidade menor,
entre três a seis meses. Mas essa eficácia
vai aumentando, podendo chegar
a oito ou nove meses. A idade é também
um factor a considerar, bem como o tipo
de rugas. As rugas por elastose solar,
com acentuada destruição das estruturas
celulares da pele, e menor produção
de elastina e colagénio respondem, em geral, de forma menos satisfatória. Pode
também ter havido a injeção direta em
algum vaso sanguíneo, o que poderá
desencadear a formação de anticorpos
que, em tratamentos posteriores, irão
bloquear a ação da toxina.

16. Para que tipo
de rugas é usado?

Principalmente para as rugas de expressão,
sobretudo a nível frontal, da glabela
(rugas de leão), rugas peri-orbitárias
(pés de galinha) e/ou rugas verticais do lábio
superior (código de barras).

17. Depois da
intervenção, o que
devemos evitar fazer?

Deitarem-se ou reclinarem-se durante
três a quatro horas, fazer esforços físicos
(ginástica) e fumar. Devemos reduzir
a mímica facial.

18. Pode ter
efeitos negativos
no organismo?

Só em caso de sobredosagem (a dose a
partir da qual podem surgir sintomas de
botulismo anda na ordem das quatro mil
unidades). Este tipo de situações nada
tem a ver com o uso de botox com efeito
estético.


Veja na página seguinte: Os cremes
com efeito botox
funcionam mesmo?

19. Os cremes
com efeito botox
funcionam?

Este resultado não se pode obter com
qualquer outro produto, mesmo de uso
tópico.

20. O botox cria
dependência?

Se falarmos em dependência psicológica,
podemos aceitar que possa manifestarse.
Mas isso significa que essa pessoa considera de enorme valia este processo.
Se não há resultados, não há continuidade
nas aplicações.

21. Pode ser considerado
o tratamento
estrela da medicina
estética?

A medicina estética tem hoje uma grande
variedade de tratamentos cuja relação
entre a eficácia, segurança e preço
permite afirmar que existem vários tratamentos
estrela. Mas sem qualquer
dúvida que a aplicação médica da toxina
botulínica é um deles.

22. Para que outros
fins é utilizado?

Começou por ser utilizado no tratamento de
alguns tipos de estrabismo e de blefaroespasmo
(espasmos palpebrais intensos), de várias
doenças musculo-nervosas acompanhadas
de espasmofilia (espasmos musculares intensos
e incapacitantes, como o torcicolo),
de contraturas musculares dos membros
superiores após AVC e na espasmofilia da
paralisia cerebral infantil. Mais recentemente,
é usado no tratamento da hiperhidrose axilar
primária (transpiração axilar não controlável
por produtos tópicos) e de certas disfunções
digestivas por excessiva contração de algumas
das válvulas anatómicas deste sistema.
São várias as pacientes que, sofrendo de enxaquecas,
referem uma acentuada melhoria
por vários meses, após as aplicações de botox
na região frontal.

Texto: Rita Caetano

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.