Este tipo de anestesia consiste em insensibilizar uma parte específica do corpo, injectando anestésicos locais que bloqueiam grupos de nervos ou uma zona da espinal medula. A epidural adormece a região inferior do corpo e é, por vezes, utilizada em lipoaspirações.

O paciente permanece consciente, mas monitorizado pelo anestesiologista do princípio ao fim.
Esta anestesia pode ser combinada com sedação para que o doente permaneça tranquilo ou adormecido.

Possíveis inconvenientes:

Possíveis inconvenientes:

«Pode ocorrer uma lesão nervosa irreversível quando se injecta o anestésico no tronco nervoso, provocando, em raríssimos casos, paralisia nas pernas», adverte Lucindo Ormonde. Mas é preciso sublinhar que, para além de ser muito pouco frequente, não provoca a perda total da função nervosa.

O incómodo da punção lombar, já que para alcançar a zona epidural é necessário introduzir uma agulha entre as vértebras da coluna; para reduzir, na medida do possível, estes incómodos, aplica-se, previamente, um anestésico local.

Outras reacções adversas derivadas da anestesia epidural podem ser: hipotensão arterial que provoca náuseas e vómitos, retenção urinária, dores de cabeça, alergia aos anestésicos, dores nas costas, infecções, hematomas e abcessos, porém, são todas situações controláveis pelo anestesiologista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.