Cada vez mais pediatras recomendam a administração deste suplemento alimentar, após divulgação em 2013, dos resultados do estudo clínico realizado com recurso a este probiótico.

O estudo em causa envolveu 468 recém-nascidos saudáveis e demonstrou que os bebés que tomaram o suplemento alimentar choraram menos de metade do tempo do que os bebés a quem foi dado um placebo.

Verificou-se, igualmente, que aqueles recém-nascidos apresentavam diariamente menos regurgitações e prisão de ventre comparativamente com os recém-nascidos do grupo placebo.

Existem várias análises que contemplam estudos com recurso a outro tipo de probióticos, mas apenas Lactobacillus reuteri Protectis demonstrou ser realmente eficaz na prevenção e tratamento das cólicas do lactente.

Para além dos benefícios a curto prazo, como a tranquilidade e a qualidade de vida do bebé e dos pais, é ainda fundamental ter em conta as consequências das cólicas nos primeiros tempos de vida do bebé a longo prazo pode tornar a criança mais susceptível a níveis elevados de ansiedade, agressão, distúrbios de sono, alergias e hiperactividade.

Menos choro, mais qualidade de vida

A cólica infantil afeta um em cada cinco bebés e traduz-se num choro continuado e duradouro da criança. Se administrado nos primeiros dias de vida a bebés em regime exclusivo ou predominante de amamentação, o impacto de Lactobacillus reuteri Protectis na duração do choro é visível ao final de poucos dias.

No estudo comparativo, estes bebés choraram, por dia, menos de metade do tempo (45 minutos) do que as crianças que receberam placebo (96 minutos), e esta diferença significativa entre os grupos continuou até final dos três meses de administração.

A par das melhorias na motilidade e função intestinal, este probiótico apresenta também um óptimo desempenho na prevenção de regurgitação, gastroenterites e diarreias em comparação com placebo. Probióticos são «microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, promovem benefícios na saúde» (OMS), contribuindo assim para manter o equilíbrio intestinal.

Tal como as cólicas, a regurgitação e a prisão de ventre provocam dor no bebé. Estes sintomas levam frequentemente a visitas ao pediatra, e ainda ao internamento e medicação, para além da ansiedade e perda de dias de trabalho que provocam aos pais. No estudo referido, a poupança direta em cada família que utilizou L. reuteri Protectis é de 88€, comparativamente ao placebo.

O Lactobacilus reuteri Protectis é o agente ativo de BioGaia. Trata-se de um probiótico cujo agente foi isolado a partir do leite humano, o que praticamente elimina o índice de rejeição do produto. Para uma prevenção eficaz, deve ser administrado em 5 gotas diárias desde o primeiro dia de vida do bebé até, pelo menos, aos 5 meses de idade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.