A Organização Mundial da Saúde (OMS) acaba de anunciar uma nova droga que é capaz de resistir ao calor extremo e permanecer eficaz durante cerca de 1000 dias. Conhecido por Carbetocina, o novo medicamento pode ser a solução para travar a mortalidade de milhares de mães em países de climas extremamente quentes e húmidos. Todos os anos, cerca de 70 mil mulheres morrem devido a hemorragias graves após o parto, fenómeno que também aumenta o risco de vida dos bebés no primeiro mês de vida.

Até agora, a OMS procurava travar este flagelo com injeções de Ocitocina, ministradas a todas as mulheres que dão à luz através de parto normal. Porém, este medicamento tem de ser conservado a uma temperatura de 2 a 8 graus desde o momento em que é fabricado até à altura de ser ministrado, o que pode ser um requisito impossível de cumprir em países com acesso limitado à refrigeração e fontes de energia pouco fiáveis.

Numerosos especialistas manifestaram a sua satisfação pelo facto de o novo medicamento poder ser dado a todas as mulheres que dão à luz por via vaginal. Metin Gulmezoglu, perito da OMS, explicou que esta descoberta "ajudará a salvar muitas vidas de mães em países pobres, justamente aqueles onde ocorre a maioria das mortes”.

A OMS espera que a Carbetocina esteja disponível em vários países já no início do próximo ano.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.