Até à reavaliação da situação, a SRECT recomenda que todos os alunos “deverão permanecer em casa”.

A suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais abrange a escola básica e secundária Professor Doutor Francisco Freitas Branco, básica do Campo de Baixo, o infantário "O Moinho" e o externato Nossa Senhora da Conceição.

Hoje, o presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, Idalino Vasconcelos, já tinha defendido mais medidas restritivas, face aos 18 casos ativos de covid-19 registados na ilha.

"Com o número de casos ativos conhecidos, à data, o Porto Santo torna-se num concelho com risco de transmissibilidade elevada, a par do Funchal, Câmara de Lobos e Ribeira Brava, o que nos causa grande apreensão e elevada preocupação", referiu o autarca, em comunicado.

No domingo, o executivo madeirense aprovou novas medidas para conter os contágios com o vírus SARS-CoV-2, nomeadamente a proibição de circulação entre as 23:00 e as 05:00 em todo o território, a abertura progressiva das escolas em três concelhos, reforço da fiscalização e encerramento de bares e restaurantes às 22:30.

Relativamente à abertura das escolas, tendo a região um universo de 52 mil elementos, entre professores, alunos e funcionários, o executivo adotou medidas específicas para os três concelhos com "maior incidência de casos": Funchal, Câmara de Lobos e Ribeira Brava.

Segundo o Governo Regional, nestes três concelhos as escolas públicas e privadas devem reabrir até 11 de janeiro, depois de testada a população escolar.

Nos estabelecimentos de ensino dos restantes municípios manteve-se o calendário definido e as aulas recomeçaram hoje.

No Porto Santo, o presidente da autarquia recomendou que as pessoas que estiveram fora da ilha no período de Natal e fim de ano devem manter-se isoladas até à realização do teste à covid-19, no quinto dia após o regresso.

Idalino Vasconcelos anunciou também que vai convocar, com caráter de urgência, a Comissão Municipal de Proteção Civil, para avaliar a situação e determinar orientações operacionais.

De acordo com os dados divulgados pela Direção Regional de Saúde no domingo, o arquipélago da Madeira, com 267 mil habitantes, regista 799 infeções ativas, num total de 2.000 casos confirmados desde 16 de março de 2020, e 14 óbitos.

Quarenta e cinco pessoas estão internadas no hospital do Funchal.

A ilha do Porto Santo registou até agora 23 casos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 18 estão ativos. Cinco pessoas já recuperaram da doença.

Em Portugal, morreram 7.186 pessoas dos 431.623 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.