As  patologias cutâneas da infância mais frequentes são a Dermite Atópica, as Verrugas Víricas (“cravos”), os Moluscos Contagiosos e os Nevos Melanocíticos (“sinais”), sendo as três primeiras aquelas que maior impacto têm, seja pela afetação da qualidade de vida, seja pela sua  potencial interferência com as atividades do dia-a-dia.

Dermite Atópica (DA)

É uma doença crónica/recorrente, geneticamente determinada à qual se podem associar fatores ambientais. Afeta 10 a 20% das crianças, sendo frequente uma  história pessoal ou familiar de rinite alérgica/asma.

O diagnóstico é clínico, baseado num conjunto de características clínicas cardinais: o prurido (“comichão”), a localização típicas das lesões, a xerose (“secura”).

As crianças com DA têm uma maior suscetibilidade à ocorrência de infeções cutâneas, por vezes com morbilidade significativa.

A hiperreatividade (“sensibilidade”) cutânea a múltiplos estímulos é frequente, podendo  induzir crises de agravamento do eczema. Por isso os alergénios potenciais devem ser identificados por uma história minuciosa e/ou por testes de hipersensibilidade (“alergia”).

O tratamento eficaz da DA requer cuidados constantes e prolongados, incluindo a aplicação diária de emoliente (“hidratante”), terapêutica tópica - corticóides são a pedra basilar - ou sistémica, nos casos de maior gravidade, e eliminação dos fatores comprovadamente agravantes.

Verrugas víricas

As verrugas (“cravos”),causadas pelo papilomavírus humano, atingem 7 a 10% da população geral , sobretudo crianças em idade pré-escolar e jovens adultos. O contágio ocorre em pequenos grupos (casas) ou grandes (ginásios, piscinas), favorecido por pequenos traumatismos. Têm diferentes apresentações clínicas – verrugas vulgares, plantares, planas, filiformes.

Apesar da cura espontânea ser possível, a sua contagiosidade aconselha o tratamento precoce; a dor e o desconforto que induzem em certas localizações exigem medidas terapêuticas adequadas ao tipo clínico e à localização.

Moluscos contagiosos

Causados por um poxvírus, ocorrem em número variável até às dezenas, com localização preferencial ao tronco, face e região anogenital. A sua disseminação é por vezes importante, particularmente na criança com dermite atópica. Por vezes rodeia-se de halo inflamatório (“vermelho”) que poderá corresponder a um modo de cura espontânea. Dada a sua contagiosidade e risco de auto-inoculação elevados o tratamento é aconselhado. As formas disseminadas são de difícil tratamento.

As explicações são de Eduarda Osório Ferreira, médica especialista em Dermatologia e membro do Grupo Português de Dermatologia Pediátrica da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.