Não faltam atividades para os manter física e mentalmente ativos durante os próximos dois meses e meio, tendencialmente de ócio. Podemos, no entanto, encontrar alguns constrangimentos que devem ser considerados. Desde logo os custos.  As ofertas são variadas, mas os preços, por vezes, inviabilizam as atividades mais aconselhadas para cada idade.

Outra preocupação: como convencer uma criança, em tempo de praia, a treinar as competências académicas, depois de ter estudado durante quase um ano? A resposta é simples: há tempo para tudo. Com organização é possível conciliar mergulhos na piscina, jogos na areia e alguns períodos de leitura, sempre tão importantes.

Os esquecimentos da matéria lecionada são comuns. Como os contrariar? 

É preciso moderação. Meia a uma hora por dia para otimizar conhecimentos em algumas disciplinas é sempre uma boa estratégia, sem prejuízo do merecido tempo de descanso e diversão. Contribuirá para que a energia e a concentração acumuladas durante o período letivo se mantenham.

O verão é a época ideal para que, sobretudo os alunos com avaliações mais baixas, possam suprir, sem pressão excessiva, as principais dificuldades reveladas durante o ano escolar. Há outras estratégias. Todos sabemos, o cérebro das crianças precisa de ser estimulado mesmo durante as férias. Veja como com as seguintes sugestões.

1. Estimule a criança para o prazer da leitura

Faça a leitura de verão divertida. Um capítulo diário de um livro, por exemplo, é fundamental para preservar as habilidades de leitura, de ortografia e, em simultâneo, melhorar o seu raciocínio verbal. Aproveite os tempos livres para frequentar bibliotecas, livrarias, cinemas e teatros.  Os alunos que leem regularmente durante as férias, regressam à escola com outra preparação ao nível da compreensão leitora e da expressão escrita. Se for necessário, altere o lugar de arrumação dos livros, tornando ainda mais fácil o acesso durante as férias escolares. Nunca esquecer que a leitura contribui para melhorar o vocabulário e a expressão verbal.

2. Organize uma agenda com as tarefas a desenvolver

O registo de atividades e metas a alcançar contribuirá para que o plano seja concretizado com sucesso, sem prejudicar as atividades favoritas. É importante que as crianças descansem, mas ao mesmo tempo, permaneçam ativas mentalmente. Deixe-a gozar, por exemplo, as duas primeiras semanas de férias como lhes apetecer e, gradualmente, vá aumentando a intensidade dos estudos através de atividades divertidas e pedagógicas. Estudar sem descanso pode tornar-se prejudicial.

3. Desenvolva as competências da matemática

Evite que ocorra algum retrocesso ao nível do raciocínio lógico-matemático oferecendo-lhe cinco problemas diários para resolver. Verá que o arranque do ano escolar será menos penoso. Pondere comprar um caderno de exercícios.

4. Incentive a escrita criativa

Escolha um tema semanal com o qual a criança sinta afinidade, por exemplo, as férias de verão, um jogo de futebol ou um filme. A escrita criativa é uma forma interessante de melhorar as habilidades da linguagem escrita, tornando-a mais enriquecedora e divertida.

5. Faça uma breve revisão das disciplinas

Ajude-a a aprender coisas novas que podem ser úteis para o novo ano letivo.  Adiantar conteúdos e consolidar conhecimentos são sempre instrumentos importantes, mas esse processo deve ser intercalado com atividades de lazer e de descanso.

6. Motive-os com mensagens positivas

É essencial incentivar as crianças para que a obtenção de resultados as motive, nunca esquecendo que o período de férias é o momento para relaxar, e... o dia tem 24 horas!

7. Descubra novos jogos pedagógicos

São um excelente recurso para qualquer idade. Jogos da memória, quebra-cabeça, dominó e outros são sempre bem-vindos, alguns disponíveis em formato digital, tão do agrado dos mais novos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.