Se o seu filho vê televisão muito perto do ecrã, escreve ou desenha em cima da folha, pisca os olhos e cai com frequência, isso pode querer dizer que vê mal. O aviso é de Sara Bueno, docente de Óptica, Optometria e Audiologia da Universidade CEU San Pablo, em Madrid.

Ao jornal Marca, a especialista refere ainda outros sinais de alerta: desempenho escolar inadequado, dores de cabeça, pouca tolerância à luz e dificuldade em alinhar corretamente os olhos (estrabismo).

“Muitas crianças não se queixam porque não sabem o que é ver bem. Portanto, estar atento a certos gestos é muito útil para detetar problemas de visão o mais cedo possível”, defende Sara Bueno.

A partir dos seis meses de idade, os pediatras costumam fazer testes que ajudam a controlar o bom desenvolvimento da visão da criança. “Mas é na primeira revisão ocular – que deve ser feita entre os dois e os três anos – que se conseguem detetar problemas de refração: miopia, hipermetropia e astigmatismo. Nesta consulta também é possível perceber se existem outros problemas, como olhos preguiçosos ou estrabismo. Quanto mais cedo o problema for detetado, melhor será o prognóstico e mais rápido começará o tratamento”, esclarece a perita. A partir de então, as consultas devem ser anuais, já que, quando os miúdos estão em desenvolvimento, a graduação pode subir mais rapidamente.

Jorge Maguilla, do Colégio Oficial de Oculistas-Optometristas da Andaluzia (Cocooa), fornece várias pistas para detetar qualquer anomalia visual (como miopia, astigmatismo, hipermetropia ou estrabismo) nas crianças.

Sinais de problemas de visão

  1. Tem dificuldade em ver o que está escrito ou projetado no quadro da escola ou na televisão.
  2. Desvia um olho ou queixa-se permanentemente de visão dupla ou intermitentemente.
  3. Por vezes, vê a dobrar ou desfocado, ainda que ao perto. Por causa disto, pode começar a sofrer de fadiga constante, nervosismo e irritabilidade.
  4. Revela falta de interesse pela leitura ou perde-se quando está a ler. Também apresenta dificuldades em recordar o que leu.
  5. Ao ler, segue o texto com o dedo, mexe muito a cabeça e mistura as sílabas.
  6. Tem fraca compreensão de leitura para a sua idade. Omite ou adiciona palavras e salta linhas de texto.
  7. Pisca excessivamente os olhos ou faz trejeitos faciais quando lê.
  8. Torce-se e cora quando escreve.
  9. Perante um texto, gira ou inclina a cabeça ou as costas.
  10. Tem dores de cabeça frontais, náusea ou tonturas à tarde ou depois de realizar uma tarefa em que se exige nível de concentração visual forte.
  11. Revela sensibilidade exagerada à luz.
  12. Tem muitas vezes os olhos vermelhos ou inchados e esfrega-os frequentemente.
  13. Dá passos falsos, cai com frequência ou avança a cabeça para ver melhor.
  14. Fala em voz baixa quando está a ler.
  15. Mostra rigidez no corpo quando observa objetos de longe.
  16. Inverte letras ou sílabas como, por exemplo, confundindo “o” com “a” ou “p” com "q".
  17. Franze os olhos quando fixa algo.
  18. Ocasionalmente, cobre ou pisca um olho para ver melhor com o outro.
  19. Lê com a cabeça quase colada ao livro e aproxima-se muito do telefone, tablet, computador ou televisão.
  20. Apresenta défice de atenção e concentração ou baixo rendimento escolar.
  21. Tem má coordenação entre os olhos e as mãos. Por exemplo, é-lhe difícil pegar numa bola.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.