Com o aproximar do bom tempo e dos dias mais quentes, as piscinas são uma alternativa para brincadeiras na água.

Mas há que estar atento, para que os acidentes nao aconteçam.

Dicas de segurança

- Perto de água não perca as crianças de vista nem por um segundo. Redobre a vigilância com as crianças mais novas ou com necessidades especiais.

- Nunca deixe uma criança com menos de 3 anos sozinha na banheira durante o banho.

- Despeje toda a água de baldes, alguidares e banheiras, logo após a utilização.

- Dificulte o acesso das crianças aos locais com água: vede as piscinas e tanques e cubra poços.

- Escolha praias e piscinas vigiadas e cumpra a sinalização.

- Coloque sempre colete salva-vidas às crianças em águas agitadas, turvas ou profundas.

- Coloque sempre braçadeiras às crianças em águas paradas, transparentes e pouco profundas.

- Aprenda a fazer reanimação cardio-respiratória. Esse gesto pode salvar uma vida.

- Em caso de afogamento, ligue 112.

Quanto ao uso de equipamentos de segurança, como braçadeiras, é aconselhável:

- Devem ser adequadas ao peso da criança e cumprir as normas de segurança respetivas.

- Se forem insufláveis, possuir duas câmaras-de-ar independentes, de preferência em forma de anel à volta do braço.

- Serem de cores garridas.

- Em cada colocação, acabe de enchê-las já no braço para que fiquem bem ajustadas e para que a criança não as consiga retirar facilmente.

Podem ser utilizadas quando a criança está a nadar em águas translúcidas, calmas e pouco profundas e devem ser colocadas mesmo quando a criança está a brincar perto da piscina (pode escorregar e cair).

Fonte: APSI

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.