Joana Amaral Dias esteve ontem à conversa com Júlia Pinheiro onde abordou alguns dos assuntos mais polémicos da sua vida, entre eles, o facto de sempre ter sido alvo de comentários em relação à sua imagem e à forma como se expõe nas redes sociais.

"Não conhecia muito bem esse mundo do machismo. Infelizmente conheci-o pelas piores razões, por aquelas pessoas que não é suposto, porque são representantes do povo", lamenta, numa primeira mão.

"Nunca mais me esqueço que no dia em que eu saí do parlamento, é protocolar que o Presidente da Assembleia da República, que era o Mota Amaral, dizer o nome completo do deputado. Ouve uma sala cheia de apupos. Chocou-me", recorda.

Entretanto, e abordando propriamente as fotografias em que surge de biquíni no Instagram, a entrevista sublinhou. "Acho inacreditável como no século XXI, uma mulher de biquíni é pode ser um tema... (...) Querem que andemos de burca? O corpo da mulher é ainda tão ofensivo aos olhos de alguns moralistas? Nunca vi o meu corpo como uma coisa separada da minha cabeça. Este fetichismo em relação ao corpo das mulheres... nós vemos Marcelo Rebelo de Sousa em tronco nu quase todos os dias. E agora aparecer de biquíni é um escândalo?", questiona.

Eis o momento aqui.

Leia Também: "Toda a gente merece uma morte digna, o meu pai morreu no meio da rua"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.