O príncipe William não ficou indiferente ao assassínio de seis guardas florestais do mais antigo parque em África. O ataque aconteceu na manhã de 10 de janeiro e, segundo o que foi apurado até agora, os guardas terão sido vítimas de uma emboscada, não tendo a oportunidade de se defenderem.

"O ataque horrendo à equipa do Parque Nacional Virunga é abominável e eu condeno fortemente as ações dos responsáveis", afirmou William, de 38 anos, através de um comunicado do Palácio de Kensington.

"Os guardas que trabalham incansavelmente para proteger o parque nacional e as comunidades vizinhas deveriam ser honrados, não atacados. Nunca deveriam estar numa posição em que a sua vida está em risco", defende.

Tendo o parque espécies em vias de extinção, os ataques aos guardas são frequentes, sobretudo de caçadores furtivos.

Note-se que tanto William como o irmão, o príncipe Harry, estão ligados a diversas instituições de conservação animal.

Leia Também: Harry e William estão a tentar reconstruir o seu relacionamento

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.