Brad Pitt viu-se novamente obrigado a defender-se das acusações de que apenas tinha ajudado as vítimas do furacão Katrina para ‘ficar bem na fotografia’ perante a imprensa, ou seja, para conseguir boa publicidade à sua imagem.

Segundo documentos obtidos pelo site Entertainment Tonight, os representantes legais do ator apresentaram uma moção esta segunda-feira a pedir que o nome do seu cliente, assim como da sua fundação - ‘Make it Right Foundation’, fossem removidos de um processo judicial.

Neste sentido, os advogados de Pitt alegam que não existem dados factuais contra o ator, tendo em conta as acusações de “conduta ilícita” outrora divulgadas.

A moção vem como resposta a um memorando de uma série de queixosos que garantem que Pitt “aceitou de bom grado a responsabilidade da sua participação quando a publicidade era favorável”. Consta ainda que a estrela terá feito promessas às vítimas que não cumpriu.

"Ele prometeu construir casas de qualidade, sustentáveis, verdes, seguras e saudáveis, projetadas para resistir à força dos ventos dos furacões", afirmaram os autores do memorando. "Promessas em que os proprietários se apoiaram de forma prejudicial", garantem. Esta é a segunda vez que Brad Pitt pede para ser removido de uma ação coletiva. Em causa está a construção de casas com uma série de defeitos, problemas cujas culpas Brad Pitt atribui ao arquiteto John C. Williams.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.