Pedro Chagas Freitas escreveu uma carta aberta à EDP, que publicou na sua página de Facebook, na qual pediu à empresa que tomasse alguma atitude relativamente à situação por que os portugueses estão a passar por causa da pandemia do novo coronavírus.

"Se não sabem ficam a saber, Portugal está em Estado de Emergência. Se não sabem ficam a saber, grande parte dos portugueses está, não porque queira, em casa. Se não sabem ficam a saber, esses portugueses estão, por isso, a consumir muito mais energia elétrica. Se não sabem ficam a saber, uma parte desses portugueses tem, nesta fase, rendimentos bastante reduzidos — ou até nulos", começa por evidenciar.

Tendo isto em conta, o escritor faz um apelo: "Não cobrem. Ou pelo menos cobrem só uma percentagem. Ou reduzam tarifas. Ou passem todas as horas para a tarifa de hora 'morta'. Ou qualquer outra solução que vos passe pela cabeça para amenizar este choque que no final do mês (dos meses) vai atacar milhares (milhões) de portugueses".

"Se perderem margem de lucro, se no final do ano o vosso Relatório & Contas mostrar que não vão distribuir dividendos tão volumosos como quase sempre, digam aos acionistas que este ano fizeram mesmo aquilo que preconiza o vosso lema: distribuíram energia às pessoas. Vão ver que elas vão agradecer", completa.

Concorda com estas medidas?

Leia Também: Eládio Clímaco: "Perdi a cabeça e não resisti a acionar a indignação"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.