Kim Kardashian revelou-se devastada pela execução de Brandon Bernard, no Indiana. A derradeira sentença terá sido cumprida hoje, dia 10, como evidencia o Mirror.

Brandon era um prisioneiro que estava a cumprir pena pelo homicídio de Todd e Stacie Bagley, em junho de 1999. Este encontrava-se entre o grupo de cinco jovens que obrigaram as vítimas a entrar num carro, matando-as depois a tiro. Foi Bernard quem, posteriormente, optou por incendiar a viatura. A pesada condenação deveu-se ao facto do tribunal ter acreditado que as vítimas ainda estariam vivas quando Brandon pegou fogo ao automóvel.

Kim ainda tentou intervir de forma a que a sentença permanecesse em prisão perpétua, contudo, os seus esforços acabaram por não ser recompensados.

Na visão da celebridade, Brandon não deveria ter sido executado por uma série de razões: a primeira porque na época tinha apenas 18 anos, a segunda porque não foi ele quem disparou a arma, a terceira porque era possível o pedido de clemência em tribunal, a quarta porque nas quatro décadas em que Bernard esteve preso ajudou jovens em risco e finalmente porque este tinha o apoio da sua comunidade.

Kim nota que teve a oportunidade de ter uma última conversa com Brandon e que foi a mais difícil da sua vida. "Perdi as estribeiras e tive de colocar o meu telemóvel em silêncio para que não me ouvisse a chorar daquela maneira", confessou.

Leia Também: Vídeo. Kim Kardashian ficou em lágrimas após ver holograma do pai

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.