Miguel Raposo escolheu voltar ao trabalho pouco depois da morte da mãe, a atriz Maria João Abreu, que morreu a 13 de maio deste ano na sequência de um aneurisma. Para o ator, de 35 anos, regressar às gravações da série 'A Rainha e a Bastarda', da RTP, foi uma grande sorte.

"Este projeto acontece num período bastante difícil da minha vida. Não foi um trabalho. Tenho a sorte de poder fazer o que amo e portanto não tenho de trabalhar, na maior parte dos casos", começa por realçar o filho de Maria João Abreu e José Raposo, que desta forma fala sobre a fase difícil que atravessa desde a partida da mãe.

Sérgio Graciano, realizador do projeto, foi uma das pessoas que mais o ajudou nesta fase e a quem faz um agradecimento especial.

"Mas neste projeto específico, apesar da mestria de todos na sua feitura, tenho de fazer menção honrosa ao Sérgio Graciano que me possibilitou prontamente a hipótese de desistir. De não 'trabalhar'. De que não lhe iria falhar se quisesse descansar neste luto difícil. Que me compreendia e me esticava a mão se precisasse de cair", realça.

"Felizmente encontrei um ombro gigante nesta série, neste encontro com pessoas magníficas, e a ajuda foi poder continuar activo com todos. Obrigado por tudo. Não trabalhei. Vivi", termina.

Miguel Raposo está também a gravar uma nova série da SIC. O ator tem sido uma das novas apostas da estação.

Maria João Abreu era ainda mãe de Ricardo Raposo, de 28 anos, igualmente fruto do casamento com José Raposo.

Leia Também: Luísa Villar recorda Maria João Abreu e a vitória do filho na Eurovisão

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.