Qualquer entusiasta de confeitaria que viva no Reino Unido e que tenha mais de oito anos pode competir. A ideia? Inventar uma sobremesa digna da rainha, mas simples o suficiente para ser recriada pelos milhões de britânicos que celebrarão o seu jubileu de platina em junho, partilhando comida e bebida em grandes festas de rua.

Bolo real de limão, bolo de chocolate ou panna cotta com calda de framboesa... No Instagram, confeiteiros amadores exibem orgulhosamente as suas criações.

Smith, de 31 anos, imaginou um pão de ló em forma de coroa com mirtilos e framboesas. Batizou a criação de "The Elizabeth Sponge" depois de revisitar um clássico, o "Victoria Sponge", em homenagem a outra famosa rainha britânica.

"Dei um pouco de sabor mergulhando a fruta em Dubonnet, que aparentemente é a bebida favorita da rainha", explicou à AFP.

A dificuldade para os concorrentes é saber qual a sobremesa que a rainha gosta. "É um segredo bem guardado", assegura Regula Ysewijn, uma das juradas do concurso e especialista em história alimentar.

Há rumores de que a monarca gostou particularmente do bolo servido no casamento do príncipe William com Kate. "Foi um bolo feito com biscoitos e chocolate, então provavelmente gosta muito de chocolate", especula Ysewijn.

"Já que é a rainha da Inglaterra, deve gostar do tradicional pudding britânico. Assim, as pessoas podem apostar em algo seguro, se quiserem", sugere.

Além do sabor e originalidade, o júri espera que "as pessoas vejam e se inspirem na longa e emocionante vida da rainha e em tudo o que realizou" para a sobremesa.

"Claro, tem que estar à altura da rainha e queremos que fique absolutamente surpresa quando vir a sobremesa", acrescenta Ysewijn, aumentando a pressão.

Fazer história

Claire Ptak já teve essa honra. Convidada pelo Palácio de Kensington para criar um bolo para o casamento do príncipe Harry com Meghan em maio de 2018, a confeiteira também teve que puxar pela cabeça.

"Fiz seis bolos diferentes", lembra. Desde bolo de ruibarbo, chocolate a frutas cristalizadas ou baunilha foi, finalmente, uma receita com flor de sabugueiro e limão que seduziu o casal e foi servida aos convidados.

"Ter a rainha a provar o meu bolo foi realmente incrível. Foi um grande momento na minha carreira", diz a confeiteira, que dirige a confeitaria Violet no leste de Londres desde 2010.

Esta aconselha os concorrentes a "descobrirem o que [a rainha] gosta de comer, de que cores gosta".

O vencedor receberá uma gama de produtos da Fortnum and Mason, a famosa loja de luxo britânica que organiza a competição.

Mas, acima de tudo, terá a honra de ver como a sua receita e o seu nome ficam na história, como aconteceu com o "coronation chicken", o frango da coroação, uma receita com caril que foi servida em homenagem a Isabel II em 1953 e que ainda é consumida.

"Seria completamente surreal ver o meu bolo servido em festas de rua neste verão", sonha Smith. Para si, as comemorações são "uma oportunidade para agradecer a Sua Majestade pelos últimos 70 anos de seu reinado e pela união do país após alguns anos difíceis".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.