Elle Macpherson é contra as vacinas e assumiu-o publicamente num evento de propaganda anti-vacinação em que participou com o companheiro, Andrew Wakefield, um médico controverso que, em 2010, foi proibido de continuar a exercer medicina no Reino Unido. Na altura, o agora realizador e ativista acusou o laboratório produtor de uma vacina de ter causado autismo a 12 crianças, apresentando estudos que viriam a ser amplamente contestados e desacreditados por outros médicos e investigadores.

A nova vida das supermodelos que ninguém esquece
A nova vida das supermodelos que ninguém esquece
Ver artigo

No congresso Health Freedom Summit 2020, realizado nos EUA, Andrew Wakefield criticou a pandemia viral de COVID-19 que assola o mundo, que considera "amplamente exagerada" e "construída sobre uma falácia", apesar do número de infetados continuar a aumentar. Agora, num evento de propaganda contra a vacinação na Carolina do Norte, o antigo médico voltou a apontar o dedo às vacinas, chamando a companheira, Elle Macpherson, que também não as vê com bons olhos, ao palco para promover um vídeo que apela ao boicote a este método de imunização social.

A modelo de 56 anos acatou o pedido e o vídeo em que assume que este é "um momento divino" para transmitir esta mensagem está a tornar-se viral. Aquela que foi uma das manequins mais populares da década de 1990 mas, nos últimos anos, é nos negócios que a também apresentadora de televisão e atriz mais tem dado cartas. Para além das marcas de roupa interior Elle Macpherson Intimates e Obsidian, criou a linha de cosmética Elle Macpherson – The Body e lançou a marca de suplementos alimentares WelleCo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.