Demi Lovato alega que foi abusada sexualmente pelo seu traficante na noite em que sofreu a overdose, em julho de 2018.

Uma amiga de Lovato, Sirah Mitchell, explicou que a cantora terá recebido heroína "misturada com fentanil" naquela noite, acusando o traficante de a ter "deixado a morrer". Partilhas que foram feitas no documentário 'Dancing With the Devil'.

“Quando eles me encontraram, estava nua, azul. Fui literalmente deixada a morrer depois de ele se ter aproveitado de mim”, diz Lovato.

"Quando acordei no hospital, eles perguntaram se tínhamos tido relações sexuais consensuais. Tive um flash dele em cima de mim. Vi aquele flash e disse que sim. Só um mês depois da overdose é que percebi: 'tu não estava em condições de tomar uma decisão consensual'", partilhou.

No documentário, a cantora emociona-se ao relatar o trauma que enfrentou, não apenas na noite em que sofreu a overdose, mas também no dia em que foi violada na adolescência.

"Quando era adolescente, estive numa situação muito semelhante. Perdi a virgindade numa violação”, lembrou.

Leia Também: Demi Lovato sofreu "três derrames e um ataque cardíaco" após overdose

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.