Acaba de estrear o documentário 'Anitta: Made In Honório', sobre a vida da maior estrela de funk do Brasil, e o lançamento da Netflix já começou a gerar burburinho.

Anitta abriu o coração para fazer revelações inéditas e uma das que mais chocou os fãs foi o testemunho de uma violação na adolescência.

"Nunca expus isto em público. Sempre tive umas relações meio abusivas. Quando eu tinha 14/15 anos, conheci uma pessoa e tinha medo dele. Ele era autoritário comigo, falava de forma autoritária. Eu era diferente quando era adolescente, não era como sou hoje em dia", começou por dizer, cita a revista Quem.

A artista relatou um episódio em específico em que "ficou com medo" do "stress" do namorado e o convidou para irem para um sítio só os dois. Um momento que se transformou num verdadeiro horror.

"Quando cheguei lá, percebi que não era certo eu fazer aquilo [envolver-se sexualmente] por medo. Disse que não queria mais, mas ele não ouviu. Ele não falou nada. Ele só continuou a fazer o que queria fazer. Quando ele acabou, saiu, foi abrir uma cerveja, e eu fiquei a olhar para cama cheia de sangue", disse.

Anitta confessou ainda que chegou a sentir-se culpada pelo sucedido, mas "há muito tempo" que deixou de carregar esse peso.

"Sempre tive medo do que as pessoas iam falar. 'Como é que ela pode ter sofrido isso e hoje ser tão sexual, tão aberta?'. Não sei. O que eu sei é que peguei nisso que vivi e transformei numa coisa para me fazer sair por cima", rematou.

Leia Também: Anitta pede desculpas a atriz brasileira por "cobiçar" filho de 23 anos

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.