Andreia Filipe foi no último domingo, dia 22, a concorrente expulsa do 'Big Brother - A Revolução. Horas depois da sua saída da casa mais vigiada do país, a professora de dança esteve à conversa com os jornalistas para fazer um balanço da sua participação no programa e esclarecer todas as polémicas que envolveram o seu nome.

Andreia viveu um jogo "duplamente difícil"

A professora de dança assume que o seu jogo "era duplamente mais difícil". "Entrar mais tarde [por ter estado escondida no bunker] foi mais difícil", mas também por não ter na casa um apoio forte como tinham outros concorrentes.

Tentando não se "infiltrar entre os casais", procurando afastar-se de Pedro, "uma personagem difícil de lidar", e apenas com Joana como amiga, para Andreia a sua prestação "foi o jogo possível e mais lógico que tinha".

Porém, o início não foi difícil apenas pela não aceitação dos colegas mas também porque a própria se sentia defraudada. Esperava encontrar concorrentes semelhantes aos da edição anterior do reality show e ao chegar ao programa percebeu que não era nada do que estava à espera: "Não vou mentir, ao início senti-me, nada em desprimor dos meus colegas, senti não foi para isto que eu me candidatei. Onde é que estão os sensatos? Onde é que estão as pessoas mais parecidas comigo?"

"Era um registo diferente daquele que eu esperava, mas daí ser a revolução", diz, garantindo que depois de conhecer os colegas passou a enquadrar-se melhor.

Terminada a experiência, Andreia garante que conseguiu alcançar os seus objetivos dentro do programa, e sempre "sem nunca pisar ninguém e de acordo com os seus valores".

Andreia queria sair do programa?

Joana entrou na casa do 'Big Brother', depois de ver a amiga Andreia abandonar o jogo, afirmando que a bailarina lhe teria dito que tinha vontade de sair. Questionada pelos jornalistas sobre a veracidade desta afirmação, Andreia explica: "Não, eu não queria sair. Eu não queria que a Joana ficasse sem chão. Eu quis protegê-la", refere, dando conta de que a sua afirmação tinha como objetivo confortar Joana.

Existiu preconceito em relação à sua idade?

A edição de 'Big Brother - A Revolução' ficou marcada por várias polémicas iniciais, sendo que uma das mais comentadas dava conta de que os concorrentes mais jovens do programa tinham algum tipo de preconceito relativamente aos participantes mais velhos - que estavam em minoria.

Apesar da polémica e de não ter sido aceite inicialmente no grupo, a professora de dança, de 40 anos, garante: "Não senti preconceito diretamente. Aquilo que eu senti comigo foi que ter entrado mais tarde automaticamente me colocou de fora. Senti que era persona non grata devido ao jogo".

Ainda assim, assume que alguns dos colegas não compreendiam a sua "maneira de estar na vida". "Não compreendiam o know-how que eu ganhei com os meus 40 anos de vida", diz.

O aborto que a fez 'cair' antes do 'Big Brother'

"A minha verdadeira queda foi antes do 'Big Brother'", confessa a ex-concorrente do reality show da TVI, explicando que para si o 'Big Brother' foi a luz ao fundo do túnel.

Andreia entrou no programa fragilizada, em pouco tempo tinha lidado com a dor de sofrer um aborto, um problema no joelho que a impedia de fazer o que mais gosta, dançar, e uma pandemia que afetava o seu negócio - a escola de dança da qual é dona.

"2020 veio com vírus. Eu comecei 2020 da pior maneira possível com essa questão da gravidez. Tive aí uma gestão muito dura. Logo de seguida entra a nuvem de uma possível pandemia e em seguida o problema com o joelho", lembra, explicando que não foi fácil para si "gerir três problemas ao mesmo tempo".

Entrar no 'Big Brother' depois de todos este problemas significou para si uma "mudança, novas oportunidades e uma forma de ver a vida de maneira diferente".

Questionada sobre o motivo pelo qual escolheu revelar no programa que tinha sofrido um aborto, Andreia explica que quis que os restantes concorrentes tivessem oportunidade de perceber "porque é que tinha tantas mágoas e tantas tristezas". Mas o seu objetivo passa também por transmitir uma mensagem de força a todas as mulheres que passam pelo mesmo.

Já fora do programa, a professora de dança lembra o episódio enaltecendo todo o apoio e carinho que teve por parte da família e do namorado. "O meu namorado sofreu tanto quanto eu, tivemos de nos apoiar os dois", recorda.

Quanto ao futuro, Andreia afirma que fará de tudo para conseguir em 2021 concretizar o desejo de ser mãe. "No que depender de mim, obviamente, vou lutar para ser mãe", diz.

Será que Andreia aceita o desafio de voltar ao 'BB'?

Com a estreia do novo 'Big Brother - Duplo Impacto' marcada para 2021, quisemos saber se Andreia estaria disposta a entrar no reality show. A nova aposta da TVI, recorde-se, irá juntar concorrentes do 'BB 2020' e concorrentes do 'BB - Revolução'.

"Não sei, deixo em aberto. Vai depender do tipo de concorrentes que vão colocar", começa por afirmar. "Se o caminho for os mais polémicos pela negativa, não estou nessa. Se for um equilíbrio do 'BB 2020' e do 'BB - Revolução', posso pensar nisso".

"Há pessoas lá dentro que não merecem ganhar"

"Eu queria ter ganho o 'BB,' há quem diga que eu podia ter ganho o 'BB'. Mas nós não sabemos e este jogo não é só sobre estratégia, sobre valores... porque se fosse eu estava lá", afiança Andreia ao ser questionada sobre quem seria para si o possível vencedor do programa.

Jéssica Fernandes é na sua opinião uma boa candidata à vitória, mas esta não é uma escolha que tenha ainda bem definida porque, como diz, muita coisa pode ainda mudar no jogo. O que Andreia tem como certo é que há pelo menos uma pessoa que não merece ganhar: Pedro.

"Há pessoas lá dentro que não merecem ganhar. O Pedro não merece ganhar. Sem desprimor da pessoa Pedro, mas ele tem uma personalidade que ficou presa nos 14 anos. É muito difícil conviver com ele", explica, acrescentado a estes pontos o facto de o ilusionista ter entrado mais tarde e já com "informação do exterior e de como o jogo funcionava". Para Andreia, "é injusto" se Pedro for o vencedor.

"Se eu estivesse na casa ia ficar muito revoltada"

E se não seria justo Pedro ganhar por ter entrado depois e com informações do exterior, o que acha Andreia do facto de duas ex-concorrentes estarem de volta ao jogo no próximo domingo e com possibilidade de ganharem o programa?

"Acho injusto, muito injusto. Se eu tivesse ficado na casa, a Andreia que era calminha e via os dois lados muito provavelmente ia ficar muito revoltada. Não acho nada justo, são pessoas que já foram eliminadas do jogo. Até entenderia que tivessem de entrar para dar nova dinâmica, que entrassem para lutar por uma viagem, uma scooter, uma bolsa de estudos, o que quisessem... mas não para lutar por uma percentagem do prémio", defende.

"Se eu estiveste lá dentro, não ia correr bem", garante, por fim, deixando clara a sua opinião.

Planos para o futuro e o regresso à dança

A escola de dança de Andreia continua em funcionamento, apesar de todas as condicionantes a que a pandemia de Covid-19 obriga.

A professora espera retomar as suas aulas em breve, mas depois de uma visita ao médico para reavaliar a sua lesão no joelho e fazer novos exames.

"Dentro de alguns dias vou retomar as aulas", afirma, apontando este regresso para o início de dezembro.

Para já, e ainda antes da consulta médica, Andreia precisa de "dormir muito, comer o que lhe apetecer, namorar e concentrar-se na família".

Leia Também: Big Brother: Andreia expulsa, ex-concorrentes nomeiam e discussão ao vivo

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.