A história de amor de Cary Grant e Randolph Scott é um dos muitos segredos que os donos dos grandes estúdios do cinema abafaram mas, numa altura em que "Hollywood", a nova série de êxito da plataforma digital Netflix, atrai atenções, o relacionamento entre os dois volta a ser falado. Os dois atores americanos viveram juntos durante mais de 11 anos, na década de 1930. Partilharam uma casa de praia em Santa Monica e uma mansão no bairro de Los Feliz, em Los Angeles, nos Estados Unidos da América.

Mas, apesar de posado juntos numa produção fotográfica para uma revista, nunca assumiram qualquer relação amorosa. Para esconder a homossexualidade, como aconselhavam os poderosos da indústria cinematográfica norte-americana naquela época, chegaram mesmo a casar, à semelhança de outros dos artistas de então. Para calar os rumores de homossexualidade, o agente de Rock Hudson forçou-o a casar-se com a sua secretária. O matrimónio com Phyllis Gates duraria apenas um ano.

O italiano Rodolfo Valentino, o primeiro símbolo sexual masculino, personalizava a figura do amante latino mas, segundo os rumores, era homossexual e o casamento com a atriz Jean Acker, que seria lésbica, apenas um acordo de conveniência. Embora Cary Grant exibisse uma masculinidade forçada que apaixonava as mulheres, na realidade gostava era de homens. O ator namorou nove anos com o estilista Orry Kelly antes de se envolver romanticamente com Randolph Scott, outro galã de Hollywood.

Sempre que foi confrontado com os rumores, Cary Grant, com medo das repercussões que essa revelação pudesse ter na sua carreira, negou sempre ser homossexual. Casou cinco vezes para disfarçar e envolveu-se com a atriz Cynthia Bouron, que garantiria mais tarde que o ator era o pai de um dos três filhos. Os testes realizados pouco depois desmentiram-no e desmascararam-na. Em 2018, Scotty Bowers, então com 95 anos, fez revelações bombásticas num documentário (muito) polémico.

Em "Scotty and the secret history of Hollywood", o escritor, que trabalhou 40 anos como proxeneta, confirma que forneceu amantes gay a Cary Grant, Randolph Scott e Spencer Tracy e mulheres lésbicas para a atriz Katharine Hepburn. Apesar de, em 1944, ano em que Randolph Scott casou pela segunda vez, terem deixado de viver juntos, os dois atores foram sempre muito próximos. "Eles estavam muito apaixonados", garante Richard Blackwell, um crítico de moda que viveu vários meses com o casal.

A história de amor de Cary Grant e Randolph Scott é um dos muitos segredos que Hollywood abafou

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.