Das lutas sufragistas em Manchester a escultura inovadora na Cornualha e uma voz que definiu uma era em Londres, as suas vastas e abrangentes conquistas podem ser celebradas no Dia Internacional da Mulher, a 8 de março, e durante a sua futura viagem ao reino Unido (quando for seguro viajar de novo).

Visitantes podem descobrir exibições que mergulham na herança da nação e apreciar os locais que inspiraram artistas famosos e trabalhos literários enquanto vivencia o reino Unido através da história das mulheres.

Descubra legados e arte em Londres

Aqueles que sonham com Londres, podem planear uma viagem no futuro a Newington Green, Islington, para prestar uma homenagem a Mary Wollstonecraft. Normalmente, conhecida como ‘a mãe do feminismo’, Wollstonecraft lutou por direitos iguais na educação e por melhorias no status da mulher no século XIIX.

O ano passado foi o ano do 200º aniversário de sua morte e celebrou a inauguração de uma estátua comemorativa criada pela artista Maggi Hambling. Visitantes podem adicionar ao seu itinerário e planear uma viagem ao incrível East End de Londres para caminhar pelas ruas do local de nascimento de Wollstonecraft, em Spitalfields, que acolhe casas históricas e o famoso ‘Open Market’.

A programação de 2021 do Tate Modern está cheia de artistas femininas mundialmente famosas. Infinity Mirror Rooms de Yayoi Kusama terá um ano de duração a partir de março de 2021, enquanto a primeira retrospetiva do Reino Unido da artista dadaísta suíça Sophie Taeuber-Arp está pronta para ficar na capital de julho a outubro de 2021.

Outras exposições individuais para serem vistas incluem uma exibição da artista vencedora do Turner Prize – Lubaina Himid, com abertura em novembro de 2021, e uma retrospetiva de Paula Rego, em exibição no The Tate Britain de julho a outubro de 2021.

Este ano marca uma década desde o falecimento de Amy Winehouse que chocou o mundo. As canções da icónica artista britânica que influenciaram fortemente a cena musical dos anos 2000, com Back to Black classificado como um dos álbuns mais vendidos do Reino Unido no século XXI.

Visitantes podem prestar uma homenagem à voz rouca de ‘Queen of Camden’ fazendo uma viagem até o pub local da cantora, The Hawley Arms, próximo à sua antiga casa, em 30 Camden Square, ou uma visita à estátua de bronze em tamanho real da estrela no Camden Stables Market.

Camden Market
Camden Market, Londres créditos: VisitBritain/ Martina Bogglian

Encontre inspiração no sul de Inglaterra

O sul da Inglaterra foi o lar de Virginia Woolf, uma escritora que defendia a igualdade, a reforma educacional e novos estilos de técnicas de escrita. Woolf escreveu muitos dos seus melhores trabalhos na Monk’s House, em Sussex, um refúgio completo do século XVI com bancada para escrever, jardim sereno, pomares e lagos.

Uma caminhada e um piquenique no extenso Parque Nacional de South Downs ou uma viagem à cidade costeira de Bridghton, a capital LGBTQI+ não-oficial do Reino Unido, são ambas atividades de fácil acesso.

Barbara Hepworth rompeu os padrões estéticos na escultura e foi uma das artistas modernistas mais influentes do século XX, tornando o Barbara Hepworth Museum em St Ives, na Cornualha, um local obrigatório para os amantes da cultura.

Visitantes podem compreender a visão da artista ao explorar o seu lar, jardins e estúdios de escultura e gesso, que oferecem a maior coleção das suas obras em exposição permanente. Os fãs do trabalho da artista também podem seguir o percurso do escultor a norte de Inglaterra, fazendo uma visita à galeria de Hepworth Wakefield, em Yorkshire, a cidade onde a artista nasceu.

Siga as pioneiras no interior e norte de Inglaterra

Em 1903, Manchester viu nascer o movimento Suffragette, uma organização que foi fundamental para conquistar o direito de voto para as mulheres. Os visitantes podem celebrar este evento importante no Pankhurst Centre, em Manchester. No passado já fora a casa da fundadora do movimento, Emmeline Pankhurst, a nova exposição permanente do Centro oferecerá um vislumbre da vida da família Pankhurst e a sua luta política quando for reaberta no verão de 2021.

Os visitantes também podem explorar a história da mulher em Manchester fazendo um passeio turístico com a Invisible Cities. O empreendimento social instrui pessoas afetadas pela falta de moradia a oferecer passeios exclusivos pela cidade, permitindo que descubra mais e, ao mesmo tempo, retribua à comunidade local.

Futuros visitantes do reino Unido podem ir a West Midlands para ver um dos pontos culturais mais famosos da nação, o Teatro Royal Shakespeare, em Stratford-upon-Avon. O teatro foi o primeiro grande edifício do país idealizado por uma mulher, Elisabeth Scott, quando foi construído em 1932.

Scott defendeu a igualdade de género durante o projeto, trabalhando com a Fawcett Society para promover mulheres em papéis até então dominados por homens. Os fãs de cultura podem consultar a Royal Shakespeare Company para obter as informações mais recentes sobre as mudanças de produções que foram adiadas, incluindo The Winter’s Tale, The Comedy of Errors e muito mais.

Descubra as pioneiras da Escócia

Além de spresentar coleções médicas impressionantes, o Surgeon’s Hall Museums conta a história das ‘Edinburgh Seven’ que, em 1869, estavam entre as primeiras mulheres a matricularem-se numa universidade britânica. Em 1870, este grupo de estudantes de medicina foi imortalizado por um motim que eclodiu do lado de fora do Surgeon’s Hall, quando uma multidão furiosa dos seus colegas homens as impediu de fazer um teste agendado.

O WOHL Pathology Museum do local dá uma visão sobre estas alunas pioneiras, que conseguiram muito apoio para a causa, tanto de homens quanto de mulheres e receberam os seus diplomas postumamente em 2019.

Visitantes também podem prestar homenagem a este grupo a partir de casa, com uma tour virtual pelo Surgeon’s Hall Museums.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.