Dos gelados às salsichas, passando pelo pão e pelo queijo, terminando no ramen, na cerveja e no whisky, há museus de comida e bebida para todos os gostos. Não pense que vai ver comida a partir de uma vitrine. É muito mais do que isso. São experiências sensoriais e, em quase todos, é possível provar os alimentos que os museus homenageiam. Um aviso, vai ficar com água na boca ao ler este artigo...

1. Alimentarium (Suíça)

Fundado pela Nestlé, o Alimentarium, em Vevey, na Suíça, é um museu muito completo sobre alimentação. A exposição permanente com o título «Comprar, Cozinhar, Comer e Digerir» oferece informação interativa sobre todos esses campos associados à nutrição. No campo das exposições temporárias está patente, a oferta também é surpreendente. Regularmente, há workshops de culinária e uma mostra sobre a história da Nestlé. Os preços variam entre os 6,60 € para estudantes e maiores de 65 anos e os 9,90 € para maiores 16 anos.

2. Guiness Storehouse (Irlanda)

Uma visita à casa da cerveja Guiness em Dublin, na Irlanda, conta-lhe tudo sobre esta bebida, desde os ingredientes ao processo de fabrico. Tudo começa ao entrar numa porta em forma de copo e termina no Gravity Bar com um copo de Guiness na mão e uma vista de 360º para Dublin. Os preços variam entre os 16,20 € para adultos, os 14,50 € para menores de 18 anos e maiores de 65 e os 6,50€ para crianças.

3. Museu do Pão (Portugal)

O ciclo do pão, a arte do pão e o papel que este alimento representa na religião, na sociedade e na política são algumas das temáticas abordadas no Museu do Pão, na Quinta Fonte do Marrão, em Seia. A pensar nos mais pequenos existe uma ala temática que é um universo de fantasia, onde se recua no tempo e se entra no seio de uma família de duendes que trabalha o pão. No final, as crianças ainda podem fazer pão num ateliê. A experiência custa 3 € para crianças dos 3 aos 12 anos e reformados e 5 € para adultos.

4. Deutsches Currywurst Museum (Alemanha)

Como o nome indica, o Deutsches Currywurst Museum celebra o emblema gastronómico de Berlim, capital da Alemanha, a salsicha grelhada. O museu é interativo e muito divertido. Além de dar a conhecer a história deste snack tão berlinense, mostra os melhores locais para o provar e desvenda o segredo do molho que o acompanha.

O bilhete inclui, como não poderia deixar de ser, uma degustação do currywurst. Os preços vão dos 7 € para crianças dos 6 aos 13 anos aos 11 € para adultos.  Jovens entre os 14 e os 17 anos pagam 8,5 €.

5. Scotch Whisky Experience (Escócia)

Entrar numa destilaria e fazer parte do processo de fabrico de whisky é a oportunidade que a Scotch Whisky Experience proporciona a todos os visitantes. Esta viagem começa nos primórdios da indústria artesanal e doméstica desta bebida e vai até ao sucesso global dos dias de hoje. As histórias por detrás da bebida mais famosa da Escócia são desvendadas e, no final, ninguém resiste a provar o verdadeiro whisky escocês, o Scotch Malt Whisky.

Antes disso ainda há tempo para ver a maior coleção de whisky escocês do mundo, com mais de três mil garrafas. Tudo isto se passa em Edimburgo, na Escócia e custa 17 € para adultos e 8 € para crianças dos 6 aos 17 anos.

Veja na página seguinte: O museu onde se come chocolate e o espaço museológico que ensina a fazer gelados

6. Museu do Chocolate de Colónia (Alemanha)

Quem olha para o edifício de vidro e alumínio, nas margens do rio Reno, dificilmente percebe que é o Museu do Chocolate de Colónia, na Alemanha, que guarda mais de três mil anos de história sobre o cacau e o chocolate, desde o tempo dos aztecas até à produção chocolateira de hoje. Há diversas atividades interativas, sobretudo para as crianças, não faltando sequer uma estufa com cacaueiros. No entanto, o ex-líbris do museu é mesmo a fonte de chocolate para todos degustarem waffles com chocolate quente. O preço da entrada é de 9 €.

7. Museu do Gelado Carpigiani (Itália)

O Museu do Gelado Carpigiani, em Anzola Dell'Emilia, perto de Bolonha, em Itália, ensina a evolução deste doce no tempo, a história da tecnologia que a sua produção adotou e até a forma como o seu consumo tem mudado. A atestar tudo isso, estão as máquinas, os documentos históricos, os instrumentos de época, as fotografias e muito mais. Pode ainda participar em laboratórios, onde se aprende a fazer gelados e se prova a razão de ser deste museu. Preços a partir de 5 €.

8. Museu do Queijo (Portugal)

O Museu do Queijo, na Covilhã, tem dois percursos paralelos, um museológico e outro gastronómico. No primeiro, os visitantes conhecem o processo de fabrico artesanal do queijo da serra, desde a pastagem dos animais às técnicas e utensílios usados na sua produção, que por aqui até tem uma versão kosher, um queijo produzido de acordo com as regras judaicas. No segundo, faz-se a prova de um dos melhores queijos do mundo com três das suas variedades, acompanhadas de um copo de vinho. A visita custa 4 €.

9. The World of Coca-Cola (EUA)

É a atração mais visitada da cidade de Atlanta nos EUA e não é difícil perceber porquê, pois falamos do museu da bebida mais famosa do mundo. No The World of Coca-Cola, há um teatro 4D que nos leva a dar uma volta sensorial aos vários continentes e à história da marca e uma sala onde a fórmula secreta quase é desvendada e se mostra muito mais do que apenas uma lista de ingredientes.

Além disso, há ainda uma exposição onde se associa a famosa bebida à cultura pop. A viagem termina numa sala de prova, na qual se pode provar mais de 100 bebidas, entre as quais a Coca-Cola com sabores a que não estamos habituados. Os adultos pagam 12,35 €, os maiores de 65 anos 10,80 € e as crianças dos 3 aos 12 anos pagam 9,25 €.

10. Museu do Rum Havana Club (Cuba)

Entrar no Museu do Rum Havana Club é uma viagem às origens da bebida mais famosa de Cuba, em plena Havana Velha. Há canas de açúcar, uma réplica da locomotiva a vapor que serviu para as transportar e recriou-se ainda uma destilaria e as caves. A visita termina no Havana Club Bar onde pode beber um mojito, um daiquiri, uma cata vertical ou ainda fazer uma prova de runs de todas as idades. Tudo isto ao som de uma banda. O preço é de 6 €.

11. Museu da Trufa (Espanha)

Não, este não é um museu sobre pedras preciosas, mas diamante negro é uma das alcunhas dadas às trufas pretas, tão afamadas nas cozinhas internacionais dos grandes chefs. As trufas são uma espécie de fungo que nasce debaixo do solo e toda a cultura que se desenvolveu à sua volta integra o espólio do Museu da Trufa, em Metauten, Navarra, Espanha. Há ainda a possibilidade de passear nas zonas das trufas e, no inverno, acompanhar os cães que as farejam e, por fim, degustá-las. Crianças dos 5 aos 12 anos pagam 5,50 €. Os maiores de 12 anos pagam 11 €.

Veja na página seguinte: O museu onde se descobre o quinto sabor

12. Museu Shin-Yokohama Ramen (Japão)

O Museu Shin-Yokohama Ramen recria uma rua japonesa de 1958, ano em que o ramen, o prato japonês aqui em destaque, foi inventado. Neste museu em Yokohama no Japão, pode provar ramens de todo o país e aprender mais sobre a origem desta refeição, inspirada nos noodles chineses. A grande diferença reside no caldo que é servido com a massa, sendo que o nipónico associa sal, miso, molho de soja, caldo de carne ou de vegetais.

Esta mistura de ingredientes, segundo os japoneses, dá origem ao umami, o tal quinto sabor, que não é doce, salgado, amargo ou azedo, mas sim uma junção de todos eles. O preço é de 2,10 € para maiores de 13 anos e de 0,70 € para crianças dos 6 aos 12 anos e para maiores de 60 anos .

13. Museu Internacional da Piza (Itália)

É uma das especialidades gastronómicas mais apreciadas em todo o mundo e a napolitana não é considerada uma das melhores e mais genuínas. Como é óbvio, Nápoles, em Itália, tem um museu dedicado ao seu grande trunfo gastronómico, a piza. O Museu Internacional da Piza está inserido no Museu do Mediterrâneo, da Arte, da Música e das Tradições. A entrada custa cerca de 4 €.

14. Museu do Queijo de Amesterdão (Holanda)

É um daqueles alimentos que ou se ama ou se odeia e são muitas as pessoas que não o conseguem ingerir ou não suportam o cheiro. O Museu do Queijo de Amesterdão, na Holanda, é uma autêntica montra de queijos dos Países Baixos e até tem a fatia de queijo mais cara do mundo. A entrada é livre.

15. Museu Pick Salami e Szeged Paprika (Hungria)

O Museu Pick Salami e Szeged Paprika, na Hungria, divide-se em dois alimentos. No piso de cima, conta-se a história do salame e, no de baixo, o da paprica. Os adultos pagam 3,15 € e as crianças, os estudantes e os reformados têm de desembolsar cerca de 2,38 € para descobrir a evolução gastronómica destes dois ingredientes distintos.

16. Museu da Cozinha de Hangzhou (China)

Na cidade de Hangzhou, na China, há um museu que recria os mais famosos pratos da gastronomia chinesa mas em plástico. No entanto, são bastante reais. O chef e escritor inglês Fuchsia Dunlop, numa das suas crónicas, já referiu que era «provavelmente o mais magnífico» dos muitos museus dedicados à alimentação que têm vindo a ser criados na China nos últimos anos. A entrada é livre.

17. Frietmuseum (Bélgica)

Em Bruges, a pitoresca vila belga conhecida pelos seus canais, o Frietmuseum destaca a batata frita, uma das especialidades mais apreciadas em todo o mundo, sem esquecer a história da batata simples e muitos utensílios vintage que ajudam na tarefa de fritar batatas. Para os adultos a entrada custa 6 €. Estudantes e maiores de 65 anos pagam 5 €. Crianças dos 6 aos 11 anos pagam 4 € .

Veja na página seguinte: O novo museu da comida que abre nos EUA em 2019

18. Musem of Food and Drink (EUA)

O futuro está nas exposições para comer e mudar a forma como as pessoas pensam em comida e estimular a curiosidade sobre o que comem são os grandes objectivos do MOFAD, Musem of Food and Drink, que irá abrir em 2019, em Nova Iorque, nos EUA. Porque a comida é cultura e é divertida, o museu pretende ter exposições que apelam a todos os sentidos, em que tudo poderá ser cheirado e degustado. Uma vez lá dentro, os visitantes irão aprender tudo sobre a cultura, história, ciência, produção e comércio de comidas e bebidas.

Texto: Rita Caetano

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.