É um dos fatores essenciais para o desenvolvimento das plantas mas continua a suscitar muitas dúvidas. Os sintomas mais comuns são as folhas com necroses, com partes secas e/ou mortas, assim como a descoloração das folhas. "Parece que ficam desbotadas", descreve Teresa Chambel, arquiteta paisagista, blogger de jardinagem, autora de livros especializados e diretora da revista Jardins. Noutros casos, as folhas podem nascer deformadas. Veja, de seguida, os sinais a que deve estar atento.

Depois de os identificar, é preciso arregaçar as mangas para solucionar rapidamente o problema. "É melhor fertilizar a menos do que a mais", adverte, no entanto, a especialista. "A fertilização a mais pode provocar queimaduras e a posterior morte da planta", avisa a autora do livro "Um jardim para cuidar", que deixa ainda outra recomendação. "Deve ter um calendário onde regista as datas em que fertilizou a planta para não se esquecer de o fazer na periodicidade certa", sugere.

Falta de cálcio

As folhas novas crescem enroladas e descoradas. "Apresentam-se, por norma, com um verde muito pálido e com as bordas castanhas", sublinha Teresa Chambel. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando o contacto com as raízes. De seguida, é só regar.

Falta de ferro

As folhas novas que vão surgindo ficam amarelas, prejudicando o desenvolvimento da planta. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base da variedade botânica que cultiva. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente na terra, evitando, contudo, o contacto direto com as raízes da planta. De seguida, é só regar.

Falta de magnésio

É outra das carências comuns. "As folhas começam todas a ficar pálidas, amareladas com manchas e acabam por secar e/ou cair", adverte a especialista. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando o contacto com as raízes. De seguida, é só regar.

Falta de potássio

Perante este cenário, as folhas ficam com manchas arroxeadas ou encarnadas. "Podem aparecer pequenos furos nas superfícies", alerta a diretora da revista Jardins. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando o contacto com as raízes. De seguida, é só regar.

Falta de azoto

Também é preciso estar atento a esta carência. "As folhas começam a ficar amarelas a partir da ponta até ao centro", refere a arquiteta paisagista. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando, todavia, o contacto com as raízes. De seguida, é só regar.

Falta de fósforo

As extremidades das folhas das plantas ficam castanhas ou avermelhadas e a superfície das folhas apresenta-se amarelada. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado, orgânico ou inorgânico, num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando o contacto com as raízes. De seguida, é só regar, como habitualmente.

Falta de enxofre

É outra das carências comuns e também afeta significativamente o desenvolvimento da planta. "As folhas novas nascem anãs e/ou deformadas", explica Teresa Chambel. A solução passa por utilizar um fertilizante granulado num sulco à volta da base das plantas. Depois de colocar a dosagem recomendada, deve incorporá-lo cuidadosamente, evitando o contacto com as raízes. De seguida, é só regar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.