Durante o período de desenvolvimento, as rosas, assim como o resto das plantas, necessitam doses extra de nutrientes. Neste caso, deve administrar os nutrientes depois da poda. Assegure-se que o solo se encontra bem húmido e espalhe o fertilizante uniformemente em redor do ramo. Pode recorrer a um adubo completo específico para roseiras ou a um orgânico à base de sangue e farinha de ossos e peixe.

Repita a aplicação no final do verão. Nesta fase, essencial ao desenvolvimento desta e de outras plantas, são cinco os tipos cuidados e de ações a empreender.

1. Plantar

Quando proceder a esta tarefa, geralmente no final do inverno ou no início da primavera, estará também na altura de preparar as sementeiras das anuais da época, nomeadamente ageratos, petúnias, cravos-túnicos. Coloque as plantas no interior, bem protegidas, longe do aquecimento e bem iluminadas ou numa estufa no exterior.

2. Regar

A água temperada é mais benéfica para as plantas, sobretudo as recém-instaladas. Deixe repousar a água num recipiente até que se encontre bem temperada.

3. Adubar

Já pode começar a aplicar adubo orgânico ou mineral de libertação lenta por todo o jardim, embora deva insistir especialmente nas espécies de rochas e nas rosas.

4. Podar

Se, durante o período de inverno, não podou as rosas, deverá fazê-lo, idealmente, até 15 de março. Caso contrário, será demasiado tarde e interrompe o seu crescimento. Deixe, no máximo, três gemas por ramo.

5. Tratar

Geralmente no inverno, as ervas daninhas surgem com mais força e provocam danos. Para as manter afastadas, pode fazer mondas ou recorrer a um bom herbicida. Tudo vale para acabar com as infestantes.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.