Ao pedir no restaurante, no caso de não ter comido tudo, que lhe embrulhem o resto do jantar, poupa recursos na confeção do almoço do dia seguinte. Ao ser racional nas compras, evita que alguns alimentos venham a apodrecer na despensa. E, ao cozinhar em casa, evita o uso de embalagens das cadeias que fazem comida para fora. Estes três exemplos, que muitas pessoas já seguem com regularidade, ilustram uma das máximas das cozinhas verdes.

Desperdiçar comida é desperdiçar energia. Um ponto crítico desta divisão da casa, em que frigoríficos e congeladores são responsáveis por cerca de 18% da fatura energética doméstica e a preparação de refeições por cerca de 16%. Optar por eletrodomésticos mais ecológicos é uma das medidas a adotar. Mas existem gestos ainda mais simples que, muitas vezes, ignoramos, como as soluções de limpeza natural amigas do meio ambiente disponíveis.

Compras mais saudáveis e ecológicas

Estas são algumas das regras a ter em conta:

- Evite refeições pré-cozinhadas e alimentos muito processados. São menos saudáveis e requerem mais energia na produção.

- Prefira frutas e vegetais cultivados no campo. Têm um impacto ambiental dez vezes menor que os de estufa.

- Adira à agricultura biológica. Fertilizantes, pesticidas e outros químicos derivam muitas vezes do petróleo, prejudicando a saúde e os recursos naturais.

- Compre carne, peixe e produtos de charcutaria ao balcão, em vez de embalados. Assim, leva apenas o que necessita e evita embalagens desnecessárias.

- Opte por produtos locais. Quanto maior a distância que percorrem para chegar até si, maior a sua pegada ecológica.

- Sempre que possível, substitua a carne por cereais e leguminosas ricas em proteínas (grão, soja ou feijão), cuja produção é amiga do ambiente.

- Siga o exemplo do chef Jamie Oliver e cultive ervas aromáticas em casa. Transforme a sua varanda numa pequena quinta que abasteça as suas sopas e saladas.

Soluções de armazenamento mais amigas do meio ambiente

Estas são algumas das regras a ter em conta:

- Reduza o uso de alumínio e celofane. Reutilize caixas de plástico, sacos de tecido, jarras, termos e formas de bolos para guardar a comida.

- Congele frutas e vegetais da época. Assim, mais tarde, não precisará de comprá-los fora de época, altura em que são menos ecológicos e até menos saborosos e nutritivos.

- Preste atenção aos prazos de validade. Compre e armazene os alimentos de forma a consumir primeiro os que se estragarão mais depressa.

- Opte por um frigorífico o mais pequeno possível. Tenha em conta a quantidade de alimentos que, normalmente, armazena porque, quanto maior, mais energia gasta.

- Aumente a temperatura do termóstato do frigorífico. Temperaturas muito baixas (menos de 3º C) vão contribuir para o consumo excessivo e desnecessário de energia.

Os cuidados ecológicos que deve ter enquanto cozinha

Estas são algumas das regras a ter em conta:

- Cozinhe várias doses de um prato e guarde-as para as ir consumindo. Assim, obtém o dobro (ou mais) da comida, com o mesmo trabalho e gasto de energia.

- Cozinhe no micro-ondas. Utiliza um terço da energia de um forno convencional.

- Aparelhos elétricos, como a máquina de café ou a tostadeira, consomem energia mesmo que não estejam a ser usados. É, por isso, conveniente desligá-los sempre após cada utilização e ligá-los à corrente apenas em caso de necessidade.

- Tape o tacho e não abra o forno. A água ferve mais depressa tapada, permitindo-lhe poupar energia. Abrir o forno por uns segundos, enquanto cozinha gasta a energia equivalente a vários minutos.

- Petisque alimentos crus. Alimentos frescos e crus são eficientes energeticamente e mais nutritivos que outros snacks como as bolachas.

- Desligue o fogão elétrico uns minutos antes do prato estar pronto. A energia que permanece na placa ajudará a terminar o cozinhado.

- Prefira ferramentas manuais. Para quê usar um abre-latas elétrico se consegue abri-las com um manual?

Os cuidados a ter em conta no momento de lavar e de limpar

Estas são algumas das regras a ter em conta:

- Aproveite a água. Se abrir a torneira da água quente, guarde a água que sai fria ao início num recipiente e aproveite-a para lavar a salada ou regar as plantas.

- Se tiver que lavar a louça à mão, use água fria. A maior parte da louça não precisa de água quente para ficar limpa.

- Lave a louça na máquina. Gasta menos água do que à mão, desde que não a passe por água antes e evite usar a função de secagem. Ligue a máquina só quando estiver cheia. O mesmo se aplica à máquina de lavar roupa.

- Se tiver que aquecer água, faça-o ao lume. Ao utilizar a torneira da água quente, uma parte da água aquecida ficará na canalização, desperdiçando-se a energia.

- Não se esqueça de fechar a torneira se fizer várias tarefas em simultâneo. Além da água, evita desperdiçar a energia necessária para que ela chegue a sua casa e, depois, seja novamente tratada.

- Evite usar produtos químicos e tóxicos. Limpe o fogão com bicarbonato de sódio e água e reutilize trapos de algodão para limpar a bancada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.