São 12 soluções para criar cantinhos no jardim que se irão revelando com o passar do tempo. Soluções que pode adaptar a diferentes tipos de solos, a diferentes tipos de climas e até a diferentes tipos de gostos pessoais. Veja o que deve fazer à medida que as semanas forem passando para conseguir um jardim (ainda) mais bonito e acolhedor. Descubra, de seguida, os conselhos que deve ter em linha de conta para valorizar os seus espaços de cultivo botânico.

Em janeiro aposte no contraste

Para o seu jardim este mês, invista num ambiente típico de inverno sem estruturas para apoiar as plantas. O efeito é, por norma, espetacular e, apesar de o branco tender a ser a cor dominante, o realce vai para o relevo e o contraste proporcionado pelo colorido das plantas. Este efeito permite criar uma paisagem única, muito difícil de conseguir nalgumas zonas do país, sobretudo a sul, mas que não deixa ninguém indiferente nas primeiras semanas do ano.

Em fevereiro invista no regresso da cor

Para este mês, aposte num magnífico cantinho, protegido e abrigado, que se possa encontrar em floração logo em fevereiro. Entre as plantas a usar, sugerimos amores-perfeitos e narcisos. Muitos narcisos! As tulipas podem ficar à espera do próximo mês quando a floração neste local atinge o seu apogeu. Depois, só tem de fazer uma pausa e admirar atentivamente o que o rodeia. Repare seguidamente na profusão de cor que obterá num espaço tão pequeno e surpreenda-se.

Em março é altura de pérgolas com glicínias

Para março, o terceiro mês do ano, não há nada melhor no jardim do que as glicínias e os seus múltiplos tons de azul e violeta. Aconselhamos, antes da chegada a primavera, a colocar as glicínias em estruturas muito sólidas, como é o caso das vigas de ferro. No caso de recorrer a pérgolas de madeira, outra das hipóteses recomendadas pelos especialistas em jardinagem e botânica, as traves devem ser igualmente resistentes para suportarem o peso da planta.

Em abril é tempo de relvados floridos

Além do aspeto estético que confere a um espaço, um tapete de relva com vivazes rasteiras faz poupar água, porque estas variedades botânicas são, por norma, regadas por sistema gota a gota. Sugerimos, por exemplo, a utilização da Armeria maritima que, com os seus 10 a 12 centímetros de altura e com as suas flores esféricas, cumpre, por norma, as mais exigentes expetativas em termos decorativos. Antes da chegada do verão, esta é uma boa decisão a tomar.

Em maio invista em arcadas de rosas e murta

Em maio, não restam dúvidas, as grandes protagonistas do jardim são as rosas, que podem trepar por uma original estrutura de madeira envelhecida para conferir ao espaço um aspeto rústico que não deixa indiferente quem o admira. Debaixo das rosas, à sombra, pode completar o quadro primaveril com murtas. As arcadas de rosas, que podem ser de cores diferentes, conferem um maior romantismo a qualquer jardim, tornando-o pitoresco e mais sedutor.

Em junho forme uma avenida de formas e cores

O maciço de vivazes pode converter-se na maior atração do jardim no mês que fica marcado pela sempre tão ansiada chegada do verão e do calor. Desde que projetado com imaginação e muita técnica, são surpreendentes os resultados que se conseguem alcançar com esta opção. Para a concretizar, pode utilizar diferentes espécies. Se o fizer, irá conseguir o aspeto de uma autêntica avenida de flores a fazer lembrar que o verão está praticamente aí à porta.

Em julho crie um jardim à prova de calor

Praticamente todos os anos, julho é o mês de maior calor e, este ano, não será seguramente exceção, com as temperaturas a atingirem novamente níveis sufocantes. Com o excesso de calor, as plantas sofrem muito, pelo que as regas não podem ser descuradas. Idealmente, devem ser feitas de manhã cedo ou ao fim do dia, com menos sol. As euforbias, um verdadeiro exército de plantas semi-suculentas, são adequadas para as temperaturas elevadas deste mês.

Em agosto o jardim pede sombra

O calor de agosto é abundante e, muitas vezes, incomodativo mas isso não será, seguramente, uma grande novidade para si. Não só as pessoas mas também as plantas devem evitar a exposição solar e procurar a sombra. Coloque as plantas em local abrigado do sol neste período do ano. Entre uma e outra ida à praia e à piscina, aproveite para regar as suas culturas. Nesta fase do ano, a rega deve ser maior. Incorpore fertilizantes na água para as alimentar melhor.

Em setembro também há flores

A partir de agora, nenhum motivo é válido para prescindir das flores, embora os dias fiquem mais curtos e as primeiras chuvas tenham já acabado com as espécies de verão. Pode, nesta fase do ano, criar um cantinho à base de rudbequias, que encontram plena satisfação junto das camomilas de flor branca e das coreopsis amarelas. Existem outras espécies botânicas às quais pode recorrer mas estas são as que mais lhe recomendamos para o efeito que se pretende.

Em outubro assista ao espetáculo dos arbustos

Evónimos e ligustros plantados numa zona soleada do jardim é a nossa proposta para aquele que é o primeiro mês do último trimestre do ano. Mas não pense que se trata dos conhecidos evónimos-japoneses e ligustros-da-califórnia. Estes são autóctones e conhecidos cientificamente como Evonymus europaeus e Ligustrum vulgare. Tente encontrá-los no seu centro de jardinagem e crie um maciço atrativo para valorizar o jardim antes da chegada do frio.

Em novembro é altura de folhagem

Embora existam áceres que não se caracterizam pela beleza outonal, a maioria oferece florações incriveís quando as folhas mudam de cor em novembro, sobretudo os áceres-japoneses e os palmatum. A nossa sugestão para o último mês do ano passa precisamente por esta solução. Nesta fase, apesar de serem mais espaçadas e menos abundantes, as regas não podem ser menosprezadas, sobretudo nas semanas em que a precipitação é fraca ou até mesmo nula.

Em dezembro tenha em conta as condicionantes do gelo e da neve

Neste mês, o último e o mais festivo do ano, convém tirar partido da neve. Nos locais onde existe, claro! Se criar um cantinho com suportes que, mais tarde ou mais cedo ficarão revestidos por um manto branco, a neve ganhará depois mais encanto. No entanto, tenha cuidado com as espécies que não se dão bem com as temperaturas geladas e que não devem ser tidas em conta para esta opção. As tradicionais geadas exigem cuidados de proteção acrescidos nesta fase.

12 meses e 12 jardins

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.