Era uma vez um menino de nome Sudhana, que também desejava a iluminação e procurou seriamente o caminho da budicidade.

De um pescador aprendeu as tradições do mar. De um médico aprendeu a ter compaixão dos doentes em seus sofrimentos. De um homem rico aprendeu que a poupança é o segredo de toda a fortuna; e com isso concluiu que é necessário conservar tudo aquilo que se obtém no caminho da iluminação, por mais insignificante que seja.

De um monge que medita aprendeu que a mente pura e tranquila tem o maravilhoso poder de purificar e tranquilizar outras mentes. Certa vez encontrou uma mulher de extraordinária personalidade e ficou impressionado com sua benevolência, e dela aprendeu que a caridade é o fruto da sabedoria. Certa ocasião encontrou um velho viajante que lhe contou que, para chegar a um certo lugar, teve de escalar uma montanha de espadas e atravessar um vale de fogo. Assim, com suas experiências, Sudhana aprendeu que realmente existe um verdadeiro ensinamento a ser colhido e assimilado em tudo aquilo que é visto e ouvido.

Ele aprendeu lição da paciência de uma pobre mulher, fisicamente imperfeita; aprendeu a pura felicidade, observando as crianças a brincar na rua; e de um gentil e humilde homem, que nunca desejou aquilo que os outros desejavam, aprendeu o segredo de viver em paz com todo o mundo.
Ele aprendeu uma lição de harmonia, observando a composição dos elementos do incenso, e uma lição de gratidão estudando o arranjo de flores. Certo dia, passando por uma floresta, parou à sombra de uma árvore, para repousar. Enquanto descansava, viu, perto de uma velha árvore caída, uma minúscula plantinha; deste facto aprendeu uma lição da incerteza da vida.

A luz solar do dia e as cintilantes estrelas da noite constantemente refrescavam a sua mente. Assim, Sudhana aproveitou bem as experiências de sua longa jornada.

Aqueles que procuram a iluminação devem fazer das suas mentes castelos e decorá-los. Devem abrir, de par em par, os portões do castelo das suas mentes, para, respeitosa e humildemente, convidar Buda a entrar em sua recôndita fortaleza, e oferecer-lhe o fragrante incenso da fé e as flores da gratidão e alegria.

Autor: Sutra Avatamsaka

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.