Antes de te destruirmos
eras tão pura,
linda...

Antes de te destruirmos
eras convidativa,
exuberante...

Confesso que me apaixonei
pela tua beleza
doce floresta encantada,
que explodimos...

Tu não eras nossa,
talvez como a toda mulher
exageradamente bela,
não fosses de ninguém...

Antes de te destruirmos
eras perfeita,
virginal,
cheirosa...

Quando te vi violentada
partida em mil pedaços,
disforme,
enegrecida pela pólvora
e pelos incêndios,

Quando te vi despojada
da tua imponência,
despida de teu verde,
ultrajada,

Quando te vi
completamente entrecortada,
quando vi os pequenos bichos
que jaziam ensanguentados,
e que as pétalas de tuas
flores iam com o vento,
chorei....

Como explicar:
se ainda voltar para casa,
se eu sobreviver a todo esse desatino,
como explicar ao meu jardim,
como explicar aos meus filhos?

Como explicar as sevícias
na floresta encantada?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.