Veja o vídeo com a análise da Numerologia para Maio

O 11 é um número que entra em ressonância com diferentes níveis vibracionais, desde os mais densos aos mais subtis. É conhecido por ser o Número dos Profetas, dos visionários e dos seres mais avançados e evoluídos.

Quando os corações, sob esta vibração, ressoam com as frequências densas, surgem os conflitos de todos os tipos, inclusive conflito armado; violência; prepotência e supremacia política, militar, etc.; manipulação das massas; abusos de toda a espécie e assim por diante.

Se, por outro lado, o ser — um pouco mais consciente de si mesmo —, que sabe que está ligado à natureza e que faz parte desta grande aventura cósmica, entra em ressonância com vibrações mais elevadas e de alta frequência, então surge a vontade férrea de buscar soluções para ajudar esta humanidade a evoluir, a progredir, a construir uma nova realidade, baseada em valores e princípios muitíssimo elevados, onde acima de tudo se zela pelo bem do todo, onde o eu dá lugar ao nós, onde cada ser é respeitado e protegido, onde as espécies podem coexistir dentro da mesma realidade física.

Para além disto, quem se encontra sintonizado com esta frequência, acede a mundos e a dimensões internas, onde a sua potente visão interior, mais aumentada e expandida do que anteriormente, tem agora ao seu alcance pacotes de informações e de dados que não estão disponíveis para a maioria dos seres (por não se terem preparado com a devida antecedência).

Por causa daquelas características tão específicas do 11, quando alguns seres humanos trazem à luz certas soluções (por vezes tão óbvias e até “fáceis” de colocar em prática), geram nos outros desconfiança e mal-estar, sendo na maioria das vezes criticados, humilhados, e as suas ideias motivo de chacota e maledicência; quando as suas respostas para problemas complexos são espontâneas e simples como as de uma criança, isso pode gerar inveja e até agressividade por parte daqueles que não aceitam a simplicidade e a alegria destes seres-semente.

Evidentemente, e como se pode observar pela explicação anterior, não é o número em si que produz os fenómenos, mas sim a escolha de cada coração, que irá ditar os comportamentos e as ações de cada ser humano.

Por todas estas razões, é natural que em termos gerais, a maioria das pessoas se sinta mais nervosa e tensa do que o habitual, pois estas frequências subtis ressoam em diferentes vibrações das camadas mais densas de cada um de nós. Portanto, direta ou indiretamente, somos levados a pensar e refletir em assuntos que normalmente não ocupam as nossas mentes nem o nosso pensamento.

Narrativas de outros tempos e de outros lugares chegam até nós através de Hugin (pensamento) e Munin (memória), os dois corvos de Odin, o deus da Sabedoria, o deus de todos os deuses.

Uma certa sensibilidade perante determinados temas sensíveis pode começar a surgir, onde antes existia apenas indiferença ou mesmo ignorância.

É como se de repente uma onda nos invadisse a consciência e varresse o nosso ser por inteiro, tornando-nos mais aptos a sentir o nosso mundo interior e o mundo à nossa volta de uma forma diferente, sob uma nova perspetiva; questionando o inquestionável; refletindo sobre os nossos ideais e sobre os nossos valores mais profundos; pensando sobre assuntos que não ousaríamos sequer sonhar, quanto mais estudá-los para os conhecer, preparando-nos para falar e discutir sobre eles.

É, deste modo, o período ideal para colocar as ideias em ordem, aproveitando este momento em que a intuição, a imaginação, a criatividade e as ideias originais estarão a aflorar à superfície de forma abundante e vibrante, proporcionando muitas e poderosas revelações interiores, o que poderá possibilitar grandes realizações de carácter material, mental ou espiritual.

Trata-se de um período excelente para estudar esoterismo, praticar quaisquer disciplinas relacionadas com o universo da espiritualidade e expandir e aumentar a consciência.

Este é um mês muito especial — o único ao longo de 2022 —, que nos conecta com o nosso mundo interior de forma aberta e direta, trazendo-nos inspiração, conhecimento, intuição e uma explosão de fé em nós mesmos e na vida; é também sinónimo de variadas oportunidades onde poderemos atingir sucesso, fama e prestígio nacional ou internacional.

O que acontece quando o número 11 atravessa o Portal 6 (ano 2022).

O ano 6 que representa este ano 2022, traz para cima da mesa o tema do louco que cumprindo a sua tarefa, viajando dentro e fora, vai marcando os ciclos de vida, morte e renascimento — o eterno recomeço —, com uma capacidade incrível de se reinventar sempre que a vida o exigir. Ao longo dos próximos meses, seremos colocados frente a frente com momentos ímpares, onde precisaremos de nos valer de todo o conhecimento adquirido empiricamente, de toda a sabedoria acumulada ao longo de éons, de toda a intuição e de toda a aprendizagem feita e transcendida, a fim de franquearmos mais uma etapa no nosso percurso iniciático.

Aquele andrajoso, que representa cada um de nós, vai munido da bagagem essencial, despido de acessórios extra, levando por companhia a fé e a confiança em si mesmo. É a sua espontaneidade, a sua alegria em caminhar entre mundos, a sua capacidade de aprender com tudo e com todos, que lhe permite romper com o profano e elevar-se nas asas do amor, da beleza, da sabedoria, da compaixão e do perdão.

Tudo isso lhe permitirá atravessar este Portal 6, para reconhecer a beleza em tudo o que o cerca, e acima de tudo reconhecer e validar a beleza em si mesmo, sabendo que a Beleza está em todos os lugares dentro e fora dele mesmo.

Os loucos que em tudo veem beleza são considerados estranhos, uma espécie de bobos da corte, uns tolos ingénuos que não entendem nada da vida. Porém, são esses tolos, esses idiotas, os que mais perto estão do sagrado, pois carregam consigo todos os sonhos do mundo, gerando alimento para a alma, nutrindo a si mesmo e nutrindo os outros, especialmente aqueles que os criticam e julgam.

Ora estamos precisamente a atravessar um período de tempo, que teve início em 2020 e que terminará em 2099, onde várias gerações terão oportunidade de aprender a reconfigurar o ato de julgar o outro e a si mesmo, através do movimento de despertamento interior que pode ocorrer em cada um de nós em qualquer momento, assim nos abramos a essa possibilidade.

Este século, cuja tónica assenta no número 20, é para trabalhar a dinâmica eu/outro e aprender a aceitar as diferenças, através desse movimento consciente que nos leva da incompreensão e do preconceito individual, à riqueza que encontramos nos diferentes mundos personificados por cada ser, em cada reino da natureza. Há tanto para aprender com os outros e através dos outros. Aprender a ser uno no meio diversidade. Que desafiante e bela aprendizagem!

Este mês, e em outros períodos onde encontremos o número 11 como número regente, sentiremos um pouco mais intensamente a nossa consciência a querer ampliar-se, a nossa mente a elaborar tipos de pensamento mais complexos do que os habituais. Complexidade, no sentido em que teremos mais capacidade de abranger o todo, de ganhar um certo espaço interior que nos permita ver o outro como a nós mesmos, de desenvolver a habilidade de sentir, de sentir amor como nunca antes, de criar serenidade interior suficiente que nos devolva a habilidade de compreender e entender que a vida vai muito além do nosso umbigo, do nosso pequeno mundo e que a alavanca que nos catapulta para dimensões maiores, nos possibilita construir uma realidade (ou mais do que uma) bem diferente daquela que experimentamos no presente.

Talvez seja a minha característica 11 a expressar-se aqui nestas linhas, mas todo o 11, sabe que é possível, todo o 11 sabe como fazer, todo o 11 sabe que caminhos trilhar para ser aquilo que é em essência. Todo o 11 sabe que está sujeito ao julgamento, talvez porque ele seja o primeiro a condenar-se, por ser diferente.

Então quando o 11 atravessa o Portal 6, ele precisa estar bem equipado, bem ciente das suas qualidades, das suas capacidades, habilidades e de tudo o que desenvolveu até aqui, pois ele irá atravessar camadas de detritos cheias de preconceitos, de dramas, de dor, de medo e insegurança, de medo de falhar, de medo de não corresponder às expectativas, porque muito é esperado do 11, inclusive os próprios nativos costumam traçar objetivos e fasquias demasiado altas, por vezes inalcançáveis, pelo que é sempre bom manter os pés na terra.

Cabe a quem se sintoniza com esta frequência baixar a fasquia, manter-se humilde e igual a si próprio, não ambicionar mais do que precisa para cumprir a sua linda tarefa, o seu fantástico plano divino, neste plano da Realidade; não se importar em não ser notado; abrir mão do reconhecimento e da vaidade, tornando-se assim inteiro nos seus afazeres, e para além das coisas mundanas (as quais não lhe suscitam grande interesse) estar ao serviço da Humanidade.

Encontrar assim o equilíbrio tão próprio de 11, através da harmonia e da diplomacia, honrando a sua trajetória e dos demais.

Aspetos positivos:
- Consciência universal.
- Amor ao próximo.
- Compreensão humana.
- Desejo altruísta de servir.
- Nobreza de sentimentos.
- Sensibilidade e intuição no auge.
- Tome nota das suas visões e seus desdobramentos, intuições e revelações interiores. Ainda que neste momento nada disso lhe faça sentido, tome nota do que traz dessas dimensões internas, pois poderão ser preciosas mais à frente.
- Fique atento aos sonhos e aos temas recorrentes que surgem. Tome notas num diário e aprenda lições valiosas através dessas vivências em vez de buscar significados em dicionários. Lembre-se que isso, com o devido respeito, é a visão de alguém e não a sua. A sua visão é valiosa e muito válida e o significado ou interpretação de um sonho, a acontecer, deverá ser efetuado por si e não por outrem.
- Aprenda a usar bem o seu tempo.
- Aproveite os silêncios e as pausas.
- Momento excelente para quem gosta de escrever ou para quem se quer aventurar a escrever pela primeira vez.

Aspetos negativos:
- Não faça nada nem diga por trás o que não teria coragem de dizer ou fazer na frente das pessoas.
- Cuidado com os vícios e com as tentações que podem deixá-lo exaurido e sem energia para fazer o que realmente importa.
- Dada a sua sensibilidade particular, tem facilidade em captar as dores e os sofrimentos alheios Se não souber destrinçar entre aquilo que o acrescenta e o que o anula e limita, irá acumular todo esse sofrimento em si, traduzindo-se numa imensa insatisfação pessoal, profissional, etc., o que, sem dúvida, lhe trará muitos dissabores e o empurrará para um caminho doloroso transformando-o numa pessoa amarga e ressabiada com a vida e com os outros
- É o momento de desenvolver a mente, de especializar-se em alguma coisa, de estudar, ensinar e também de inspirar as outras pessoas através do seu próprio exemplo.
- Tenha atenção ao excesso de isolamento. Não se auto exclua dos seus círculos, familiares, sociais ou outros.
- Não exija demasiado dos outros, nem tampouco lhes cobre aquilo que você mesmo ainda não consegue dar.

Mensagem final: o 11 é um número através do qual se constroem poderosas alianças entre os homens e entre diferentes reinos da natureza. É necessária uma forte e poderosa reflexão antes de movimentar qualquer peça deste jogo de tabuleiro, pois uma pequena deslocação, por mais leve que seja terá sempre consequências, que podem levar esta humanidade para o próximo ponto evolutivo, ou, pelo contrário, para a devastação total. A escolha está em cada um de nós, por muito que nos custe acreditar nesta asserção.

Mantra do mês: conhecendo os dois pratos da minha balança: o Sol e a Lua, a luz e a escuridão, o real e o ilusório, aprendo a ser equilíbrio.

Áudio do vídeo da análise numerológica de Maio no Sapo Zen

Eva Vilela Veigas
Numeróloga Transpessoal

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.