Abril traz poderosos acontecimentos cósmicos, na sequência dos movimentos planetários marcantes que ocorreram em março e que tiveram como protagonistas Marte, Júpiter, Saturno, Úrano e Plutão. Todos os planetas cujo impacto geralmente afeta a nossa vida de forma mais marcante estão a desempenhar um papel ativo no movimento planetário, e isso manifesta-se nos acontecimentos que estão a desafiar a vida na Terra.

Marte é o planeta que intensifica as emoções mais exaltadas, Júpiter expande e amplifica, Saturno procura restringir, e Úrano traz mudanças drásticas e muitas vezes dramáticas.

A combinação de todas estas energias é difícil de gerir, e isso provoca em todos nós uma maior suscetibilidade e dificuldade em manter a harmonia, mediante transformações tão abruptas e ameaças tão ferozes nas nossas vidas.

Ainda assim, ultrapassar este desafio traz-nos uma poderosa oportunidade de crescimento. Todos nós teremos que amadurecer face aos acontecimentos, apelando à nossa capacidade de resistência e resiliência, e os astros ajudam-nos a fazê-lo.

O principal acontecimento cósmico de abril é a conjunção de Júpiter e Plutão, que é um dos movimentos planetários com maior impacto em 2020 e que ocorre no dia 4 de abril.

Esta conjunção aconteceu pela última vez há 13 anos (houve algum acontecimento marcante na sua vida nessa altura?) e, num período em que a economia mundial também está em rutura, ela ajuda, a nível individual, cada um de nós a procurar criar novas oportunidades e a relacionarmo-nos com a abundância de uma forma nova, mais significativa.

Estamos a aprender a relativizar tudo o que tínhamos como certo e a valorizar aspetos que antes negligenciávamos. A partir daqui, temos a capacidade e o dever de atribuir um valor diferente ao que temos, ao que nos é dado, ao que alcançamos.

Procure aproveitar esta energia olhando para portas que se possam abrir, em vez de focar a sua atenção naquelas que estão fechadas ou que podem vir a fechar-se. Por difícil que seja, há sempre várias maneiras de encarar uma situação, e cabe-nos a nós escolher aquilo em que concentramos a nossa atenção. Mesmo que um cenário seja negativo, podemos aceitar que existem aspetos que não conseguimos controlar e, apesar deles, procurar transformar o que está ao nosso alcance para tentar minimizar os efeitos negativos de uma situação.

Depois desta conjunção, na madrugada de 8 de abril teremos a maior Super Lua Cheia do ano, que ocorre no signo Balança e que será a que se encontra mais próxima de Terra, o que faz com que as nossas emoções sejam intensificadas neste período.

Uma vez que se encontra no signo Balança, esta Super Lua Cheia incidirá especialmente sobre os nossos relacionamentos, fazendo-nos questionar as relações mais próximas que estabelecemos, e obrigando-nos também a olhar mais de perto para a relação que temos connosco próprios.

Esta energia pode exaltar sentimentos de carência e solidão mas, a partir deles, ela pode ser uma poderosa ajuda para aumentar o nosso amor-próprio, ensinando-nos a prover a nós mesmos aquilo de que precisamos, sem depender tanto dos outros.

Toda esta situação está, de resto, a obrigar-nos a aprender a vivermos sozinhos, sem as distrações e o conforto a que nos habituámos a recorrer para afastar a tristeza ou a frustração.

É tempo de, não havendo nada mais, olharmos para dentro e encontrarmos em nós aquilo que nos falta. Por outro lado, procure também conversar mais com aqueles que lhe são queridos, telefonando-lhes ou fazendo videochamadas, pois é provável que eles também estejam a sentir-se sozinhos e a precisar do seu apoio.

No dia 14 de abril, o Sol forma uma quadratura com Plutão, o que nos fará procurar a maneira de ter mais poder sobre a nossa vida, destacando o poder pessoal e a força interior. Teremos de compreender onde encontramos forças para seguir em frente e de descobrir maneiras novas de reforçar a nossa confiança em nós próprios.

Dentro de cada um de nós existe uma fonte de poder, sabedoria, conhecimento e amor, que nos dá a capacidade de fazer face às dificuldades. Elas surgem para nos obrigar a usar o nosso potencial e para trazer à superfície esse dom Divino que há em nós.

No dia 19 de abril, o Sol entra em Touro, um signo de Terra, que pode ajudar-nos a encontrar uma maior estabilidade. No dia 22, a Lua Nova junta-se ao Sol neste signo, o que pode trazer-nos maior segurança em nós próprios. Embora a Lua Nova possa trazer-nos novidades, estaremos mais aptos a lidar com elas, permitindo-nos fluir com maior naturalidade com o curso das circunstâncias, sem nos deixarmos avassalar pelo que não controlamos nem pelo que nos assusta.

No dia 24 de abril, Plutão ficará retrógrado, e esse movimento terá maior impacto dentro de cada um de nós do que no exterior. Poderemos então, em virtude das circunstâncias, começar a redirecionar as metas que antes havíamos estabelecido, procurando dar um novo rumo à nossa vida, a partir daquilo que temos ao nosso alcance.

No dia 26 de abril, o Sol forma uma conjunção com Úrano, que nos lembra que as mudanças são inevitáveis e que a única forma de lidar com elas é deixarmo-nos seguir com o que o fluxo da vida, sem teimarmos em ficar presos a estruturas antigas. A fé e a esperança são, agora, mais importantes do que nunca, servindo-nos de bússola em tempos incertos.

Embora este mês nos traga desafios e provas, ele traz-nos também uma importante oportunidade para nos fortalecermos, para ganharmos maior capacidade para superar o que nos intimida e enfrentar o que nos amedronta.

Embora a realidade, como a conhecemos, esteja a mudar, somos todos parte de um Universo que é muito mais vasto, e que está sempre à nossa volta, protegendo-nos, amparando-nos, guiando-nos e ouvindo as nossas preces.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.