A procura de casa é sempre um processo desafiante. Encontrar um local que reúna as melhores condições e que responda às necessidades e preferências específicas da sua família, não é tarefa fácil. Mas este processo pode ser mais rápido se souber exatamente aquilo que procura e se tomar algumas decisões prévias. Neste artigo chamamos a atenção para aquilo que deve ter em conta na busca de um imóvel.

Pondere bem a localização

O primeiro aspeto que deve ter em conta na procura de casa para arrendar ou comprar, e que vai facilitar este processo, é definir uma ou várias zonas onde pondera viver.

Mas como escolher estes locais? Em primeiro lugar deve pensar nas suas necessidades e preferências. Vai precisar de ir de carro ou de transportes para o trabalho? Caso seja necessário utilizar transportes públicos com frequência para se deslocar, é essencial escolher localizações de fácil acesso.

Também deve ter em conta se estas estão rodeadas de supermercados, restaurantes, lojas ou escolas. Pense se gostaria de viver com este tipo de serviços próximos de casa ou se, por outro lado, preferia uma zona mais calma e não se importava de ter estes serviços mais longe. É tudo uma questão de perceber o que é melhor para si e para a sua família.

Antes de decidir, faça uma visita pelos vários bairros para compreender também o ambiente de cada um.

Qual a tipologia e características da casa que procura?

O passo seguinte é decidir a tipologia de casa que procura. Se prefere um apartamento ou uma moradia, com andares (e qual o andar) ou térrea e, dentro isso, de quantos quartos precisa. Se optar pela tipologia T0 saiba que não terá nenhum quarto, mas apenas um espaço “open space”. Mas se escolher um T1 já terá um quarto, um T2 dois quartos e por aí adiante.

Pense nas necessidades atuais e futuras do seu agregado familiar. Se, neste momento, viver apenas em casal faz sentido optar por um T1, mas se quiser aumentar a família brevemente, se calhar já compensa optar por um T2. Ou, se, por exemplo, algum dos membros estiver em teletrabalho, pode pensar num T2 para que um segundo quarto possa fazer de escritório.

No mesmo sentido deve saber se quer um terraço ou uma varanda. Se tiver um animal de estimação, como um cão, e pretender que este tenha um espaço exterior, lembre-se de incluir esse requisito na lista daquilo que procura num imóvel antes de agendar uma visita.

O estado do imóvel impacta o preço

O estado da casa também vai fazer diferença no preço a pagar. Lembre-se de que se pretender arrendar é mais difícil fazer obras ou remodelações no imóvel para o colocar em melhores condições ou ao seu gosto, porque este não é seu e o senhorio tem de autorizar todas as eventuais reformas.

Se estiver à procura de casa para comprar, além de ficar com património, consegue adquirir um imóvel em pior estado e reabilitá-lo. Isto pode compensar, pois o preço de uma remodelação adicionado ao valor que vai dar pela casa pode ser semelhante ou até mais baixo do que se comprar um imóvel novo e em bom estado, dependendo de alguns fatores.

Avalie os custos futuros

Nesta busca também deve ter em conta os custos que pode vir a ter com a casa. Isto aplica-se mais se pretender comprar um imóvel.

Se adquirir um apartamento num prédio vai ter custos com o condomínio, nomeadamente com as quotas mensais ou reparações comuns. Por isso, procure saber o preço a pagar pelos condóminos antes de escolher o imóvel.

Também deve verificar se precisa de pagar o Imposto Municipal de Imóveis (IMI). Se o valor bruto dos rendimentos do seu agregado familiar não ultrapassar os 15.295 euros anuais e o Valor Patrimonial do Imóvel (VPT) não for superior a 66.500 euros, pode beneficiar de isenção permanente. Se o imóvel que comprou não tiver um VPT superior a 125.000 euros, também pode beneficiar dela por três anos.

Se estes casos não se aplicarem e tiver de pagar o IMI, saiba que, dependendo do valor, este pode ser divido em prestações. Se o montante for até 100 euros, pode pagar de uma só vez, em maio; caso seja entre 100 a 500 euros, pode fazer o pagamento de uma prestação em maio e outra em novembro. Se for mais que 500 euros, pode pagar em três prestações, em maio, agosto e novembro. Se quiser saber o montante a liquidar, faça uma simulação através do Simulador de IMI.

Assim, deve atentar a todos estes aspetos aquando da procura do imóvel mais adequado para si e para a sua família de forma a tomar a decisão mais acertada (e informada).

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.