Um dos seus desejos para a viragem do ano (para além do fim da pandemia, claro), é entrar em 2021 com a carteira arrumada? Saiba então que está no artigo certo.

Ainda que o próximo ano seja de incertezas, é importante que comece a preparar já o seu orçamento para e a definir estratégias. Mesmo que 20201 lhe troque as voltas, ao fazer um planeamento vai estar mais preparado para os imprevistos e, consequentemente, mais confortável financeiramente.

Aprenda com o presente para aplicar no futuro

Um bom ponto de partida para fazer um planeamento financeiro eficaz para 2021, é olhar para a estratégia que tinha definida para este ano.

Através desta análise vai perceber o que deve manter igual para o ano que aí vem, e aquilo que deve limar ou até mesmo mudar.

Embora as despesas possam ir variando ao longo do ano, à partida, já existem despesas que conhece e que podem entrar para o orçamento. Exemplo disso pode ser o IMI, o seguro automóvel, o regresso às aulas, as prestações em créditos, os seguros, as férias (valor aproximado).

Por outro lado, também deve contemplar neste plano os meses em que possam existir "rendimentos adicionais”, como é o caso do reembolso do IRS e dos subsídios de férias e Natal.

É importante que faça um orçamento familiar contemplando o máximo de informação que já tiver e claro, com alguma margem, para os imprevistos que possam acontecer ao longo do ano.

Beneficie de um crédito habitação mais barato

Se tiver um crédito habitação, saiba que este pode ser uma verdadeira fonte de poupança. Pois é, embora ainda sejam muitos os portugueses que o desconhecem, a verdade é que através da transferência do empréstimo da casa para outra entidade bancária, pode conseguir melhores condições e, consequentemente, um crédito mais barato.

Isto porque, como a taxa Euribor continua em valores negativos e os spreads estão mais baixos (existindo já bancos a oferecerem spreads mínimos abaixo dos 1%), pode conseguir uma poupança de dezenas ou até mesmo centenas de euros todos os meses.

É importante também salientar que ao fazer esta revisão vai ter a oportunidade de reavaliar e poupar noutros produtos e serviços que estão associados ao seu crédito e que o podem estar a encarecer. Exemplo disso pode ser o cartão de crédito, as contas-poupança ou os seguros obrigatórios.

Assegure-se que não está a pagar mais do que devia pelos seus seguros

O primeiro passo para poupar dinheiro com os seus seguros consiste em conhecer bem a sua carteira de seguros. Porque quando falamos em poupar neste caso específico, não é deixar de os ter (até porque isso pode revelar-se mais caro do que parece), mas sim analisar se não tem coberturas repetidas ou que não utiliza, ou se não encontra o mesmo produto mas mais barato.

Por exemplo, os seguros de vida e multirriscos associados ao seu crédito habitação, por vezes, podem tornar-se numa despesa mensal mais exigente do que a mensalidade do próprio empréstimo. E isto porquê? Porque provavelmente não está junto da entidade que lhe oferece as melhores condições. Se tem estes seguros contratados junto do banco onde tem o crédito, saiba também que esta pode não ser a solução mais barata.

Estas pequenas revisões aos seus seguros em geral, podem resultar em grandes poupanças.

Transforme todos os seus créditos num só

Parece um truque de magia, mas não. Basta apenas consolidar os créditos. Esta é uma solução financeira para quem tem vários créditos em mãos e pretende uma folga mensal e, com isso, poupar.

Se tem um crédito para o automóvel, outro para o seu computador ou algum outro crédito pessoal que fez para as férias, por exemplo, pode junta-los todos num só, com melhores condições e numa única prestação mais baixa.

Com a poupança gerada da consolidação dos créditos pode aproveitar para fazer um fundo de emergência, amortizar o seu crédito, investir ou poupar para concretizar um sonho (comprar uma casa ou um carro, por exemplo).

Renegoceie as suas dívidas e alguns serviços

Se não conseguir fazer a consolidação dos créditos porque tem prestações em atraso, por exemplo, a solução pode passar por fazer você mesmo essa negociação. Se não sabe como o fazer, o eBook do Doutor Finanças pode ajudá-lo, de maneira simples e eficaz, a renegociar prazos, taxas e a obter as melhores condições junto das entidades credoras.

Por outro lado, existem muitas outras fontes de poupança, menos burocráticas e muito concretas que o podem auxiliar neste grande objetivo para 2021. Pare e pense quanto dinheiro gasta em coisas que não utiliza (ginásio, coberturas de seguros ou serviços streaming). Reveja-os um por um e altere ou cancele as suas subscrições, verá os resultados de poupança logo no mês seguinte.

Já os serviços como a água, a eletricidade, o gás e telecomunicações, que são despesas tidas como fixas e essenciais, pode sempre tentar renegociá-las.

Dica extra

Não dê 2020 por perdido. Ainda htem cerca de 2 meses para conseguir equilibrar e alinhar o caminho para o novo ano. Registe no papel a estratégia e os objetivos a definir e revisite-os com frequência.

Lembre-se de que quanto mais cedo organizar o seu orçamento e começar a poupar dinheiro, mais cedo vai recolher os frutos desse esforço.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.