Os hábitos de poupança não devem ser alterados mesmo quando há mais rendimentos e a taxa de desemprego é menor. Há que continuar a poupar para fazer frente aos encargos financeiros do presente e não hipotecar os planos para o futuro.

Assim partilhamos cinco dicas financeiras para fazer hoje que trazem resultados no futuro:

Ter um fundo de emergência para situações inesperadas

Sempre que o assunto é estabilidade financeira, o fundo de emergência é sem dúvida um dos pontos essenciais a ter em conta. Assim sendo, independentemente do seu trabalho ser seguro, existe sempre a possibilidade de um cenário de desemprego. Outros casos incluem mesmo acidentes pessoais, obras em casa, problemas de saúde, entre outros.

Caso não tenha ainda um fundo de emergência, considere seriamente em contribuir para um todos os meses. É aconselhável que este fundo tenha pelo menos seis meses de despesas. Não é necessário que este esteja "debaixo do colchão". Poderá optar por colocar esse dinheiro num depósito a prazo, em que possa movimentá-lo a qualquer momento.

Um fundo de emergência dá-lhe mais estabilidade financeira e, ao mesmo tempo, paz de alma.

Pagar-se a si primeiro

A grande maioria das pessoas não tem uma forma de poupança automática. Isto quer dizer que não alocam dinheiro para poupança quando recebem o salário.

Se esperar pelo final do mês para ver o que sobra, pode já não haver dinheiro para a poupança. Ou então cede à tentação de o gastar em algo que não lhe irá trazer felicidade no futuro.

Uma solução para evitar estas situações poderá passar por transferir automaticamente 10% do seu rendimento mensal ou mais (dependendo do seu rendimento), de maneira a que "não veja" esse dinheiro e não possa gastá-lo compulsivamente.

Desta forma, irá pôr de parte uma quantia significativa para mais tarde investir num dos seus objetivos de curto ou longo prazo.

Se realmente tem o hábito de fazer muitas compras por impulso, eis um desmotivador de compras que o ajudará a perceber quantos dias terá de trabalhar para comprar um certo produto ou serviço.

Assim, irá salvaguardar o seu futuro e não satisfazer todos os seus pequenos desejos efémeros do presente.

Proteja a sua saúde desde o início

Quando somos novos, contribuir para um bom seguro de saúde parece ser uma despesa desnecessária, visto que geralmente os problemas de saúde não são tão graves ou simplesmente nem pensamos no futuro a curto prazo. No entanto, mais uma vez, situações inesperadas acontecem e prevenir é o melhor remédio.

Muitas vezes pretendemos ser atendidos mais rapidamente, ou esperar menos tempo para uma consulta de especialidade, e ter um seguro de saúde torna-se essencial. Caso contrário, os custos de saúde são enormes, especialmente se houver necessidade de internamento.

Além isso, ao ter um bom seguro de saúde poderá seguir o seu estado de saúde mais de perto, a um preço mais acessível. Não tem necessariamente de o utilizar só para usufruir de descontos nas urgências ou quando não se sente bem e necessita de ir ao médico. Muito pelo contrário, deverá encarar o investimento num seguro de saúde como uma medida preventiva e não reativa. Com isto, não só irá poupar a longo prazo, como também irá sentir-se bastante melhor, pois ao estar a ser seguido regularmente, não irá deixar que os seus problemas de saúde se agravem.

Adicionalmente, poderá deduzir no IRS os prémios pagos em seguros de saúde, mais especificamente 15% com limite de 1000€.

Viver dentro das suas possibilidades

Por vezes, convencemo-nos de que temos de ter o telemóvel mais recente, o carro mais luxuoso, a casa mais moderna, entre outros exemplos. Infelizmente, estas despesas, se forem apenas para tentar impressionar os outros, leva a que gaste mais dinheiro do que o necessário ou que se peçam créditos que comprometam a estabilidade do orçamento familiar.

No que toca ao seu futuro financeiro, comprar produtos apenas para seguir as tendências de mercado só torna os seus objetivos de longo prazo mais complicados.

Se pretender algo que realmente gosta, que se veria a utilizar diariamente, pode ser uma boa opção. Mas lembre-se: deverá fazê-lo só depois de atingir os seus objetivos e resolver as suas questões financeiras (caso haja). Não é aconselhável que comprometa esses objetivos, ou que piore ainda mais as suas questões financeiras com desejos efémeros.

Investir na sua literacia financeira para maximizar os ganhos

Mais do que ter um bom salário e poupar o máximo possível, é necessário rentabilizar o seu dinheiro se pretende atingir a liberdade financeira. Conhecer diferentes produtos financeiros, investigar quais os riscos e retornos dos mesmos, como usufruir de certos benefícios fiscais, entre outras matérias, são essenciais para otimizar os seus ganhos e diminuir as suas despesas.

Investir na sua literacia financeira é, por isso, um fator determinante para o seu sucesso financeiro a longo prazo. Até mesmo a curto prazo é importante, visto que rapidamente irá adaptar alguns dos seus hábitos e gerir o seu dinheiro de uma forma mais eficaz, mais cuidada e sobretudo mais inteligente.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.