O que não falta por aí são potenciais empreendedores, cheios de garra e projetos inovadores, mas que apenas não avançam com a ideia, por acharem que não têm o dinheiro necessário. Se é o seu caso, pense novamente. Afinal talvez ainda haja esperança para si. Conheça as nossas dicas para abrir o seu  negócio com um orçamento reduzido.

Opções de baixo custo

Independentemente do tipo de negócio que queira iniciar, saiba que na grande maioria dos casos, o segredo – para ultrapassar com sucesso a fase inicial – passa por saber usar os recursos que tem ao seu dispor, aliados a uma boa dose de perícia financeira. Para começar nada melhor que definir o orçamento de que disponível para esta fase e a partir daí basta gerir e saber “esticar” o dinheiro para fazer a sua ideia “viver” (ou sobreviver) com esse valor. Como? Ora veja

1.     Trabalhe em sua casa

Pense. Uma das maiores despesas associadas a um negócio em fase inicial está relacionada com os custos associados ao espaço. E não falamos apenas do valor da renda, mas das despesas adicionais, como água, eletricidade, internet, telefone, mobiliário de escritório ou equipamentos informáticos, por exemplo. Numa fase inicial se puder poupar esse dinheiro, tanto melhor. E se já dispõe desses serviços em casa, não tem que pagar mais por isso. Desde que a natureza do seu negócio o permita, opte por trabalhar em sua casa. Desta forma vai poder aplicar o dinheiro destinado ao espaço em outras necessidades (que certamente vão surgir). Só precisa de dedicar uma divisão da casa que sirva de “sala de operações” e onde possa conduzir o seu trabalho de forma profissional.

2.     Use o seu equipamento próprio

Se já poupou no espaço não tem porque fazer um grande investimento em equipamentos de trabalho que não sejam estritamente necessários ou que tenha já ao seu dispor. Ou seja, se vai precisar de um computador, mas já tem o seu equipamento pessoal, porquê adquirir um novo? Não tem porquê. O mesmo se aplica ao seu telefone/telemóvel, ou outros equipamentos similares. O negócio é seu e as ferramentas de trabalho também. Quanto menos gastar, mais vai ter para investir em coisas realmente necessárias, como um protótipo por exemplo (se o seu negócio envolver um produto novo e inexistente no mercado, vai necessitar de um modelo para apresentar aos seus potenciais clientes e isso custa dinheiro). E se tiver que adquirir produtos ou equipamentos faça-o diretamente nos distribuidores, já que assim além de encontrar preços mais acessíveis, ainda vai poder usufruir de possíveis facilidades de pagamento.

3.     Limite os recursos humanos ao mínimo indispensável

Se está agora a lançar-se no mercado o melhor é não começar imediatamente a contratar. Lembre-se que a mão-de-obra especializada tem custos. Portanto, tente limitar os recursos humanos ao mínimo indispensável. Aliás, são muitos os empreendedores que numa fase inicial trabalham sozinhos.

4.     Divulgue o seu negócio … mas reduza os custos

Qualquer negócio precisa de ser conhecido para sobreviver, mas isso não significa que deva estourar o seu orçamento em campanhas de marketing ou na criação de um website, por exemplo. Atualmente o que não falta são ferramentas que lhe permitem chegar ao seu público sem grandes custos (ou mesmo sem custos). As redes sociais ou plataformas como o WordPress ou Blogspot são ótimas ferramentas e que lhe permitem divulgar de forma gratuita (até!) o seu projeto. Aproveite-as!

Seja empreendedor

Se tem todas as características de um empreendedor e sonha abrir um negócio próprio, não deixe que um orçamento limitado (ou muito baixo) o impeça. Até porque atualmente são vários os apoios financeiros que tem ao seu dispor. Mas ainda assim, será você a ter que dar o primeiro passo e a decidir querer trabalhar por conta própria. O resto vem por acréscimo.

http://www.e-konomista.pt/

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.