Digam o que disserem, mas a nossa cultura está programada para celebrar a juventude, para brindar aos anos mais teen e para renegar qualquer ruga ou cabelo branco que possa surgir.

Vive-se esta ideia de que a década dos 20 é que é! Que aí é que tudo vai acontecer. Que é quando conseguimos alcançar mais metas, somos mais felizes, temos o nosso auge profissional, vivemos os grandes amores, casamos e, possivelmente, temos filhos. WRONG! (som da buzina do quizz show).

Tudo errado! Ou pelo menos assim nos dizem os especialistas e, neste caso idoso, a experiência que vem com a tão temida idade. DAMN!

Confesso, eu também era uma dessas pessoas, que se achava que o meu auge seria aos 20, que achava que tudo ia acontecer nessa década da minha vida, que tinha que aceitar tudo, viver tudo, experimentar tudo e "vivê-las" ao máximo.

Sim, tudo isso aconteceu, mas não fez de mim a pessoa mais feliz ou realizada no processo, porque também nos esquecemos que com a juventude vem a incerteza, os dilemas, duvidamos mais de nós, ainda não temos maturidade para lidar com algumas questões, estamos sempre à rasca com dinheiro, a nossa primeira casa é medonha, o carro anda sempre na reserva e sofremos com cada date mal resolvido ou cada oferta de trabalho rejeitada.

C'est la vie! É a beleza dos imberbes anos 20. Constrói a carapaça. Faz parte!

Mas quando estamos nos 20 achamos sempre que os 30 já são uma seca. As mulheres "trintonas" (palavra um pouco prejurativa) são muitooo maduras (para não dizer velhas), peles caídas, divorciadas (coitadas!), ao tio-ao-tio, com aquela seca de trabalho rotineiro, possivelmente com filhos (que horror!), e sem sexo! WRONG! (som da buzina do quizz show).

Mais uma vez solta a buzina para o reality-check! Amigas mais novas, atentai! Ter 30 anos hoje não é o mesmo que há 20 anos atrás (o pleonasmo é apenas reforço). O mundo mudou. As exigências mudaram. A sociedade moldou-se a um novo paradigma social e, consequentemente, a uma nova mulher. Esqueçam tudo o que seriam os pré-conceitos fáceis de diabolizar e fugir. Não! Hoje as mulheres com 30 anos estão no auge das carreiras, por todos os motivos que sabemos, conquistaram finalmente a sua independência financeira, começam a arriscar na sua felicidade, começam a ter consciência de si mesmas e a querer fazer apenas aquilo que gostam, evitando dramas e fretes. O sexo?! O melhor de sempre! O corpo? O mais bombado das suas vidas! A pele? Viva os cremes para a cara, cada vez mais acessíveis e eficazes. A felicidade? A ser cada vez mais orientada para um bem-estar que finalmente se começa a alcançar.

Ter 30 hoje é ter presente estas 10 dicas:

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.