As vertigens estão entre os motivos mais frequentes das consultas de neurologia. A maioria dessas manifestações não é, contudo, de causa neurológica. Muitas têm origem nas estruturas do ouvido interno. Acompanham-se, por norma, de vómitos e de náuseas, surgem de modo súbito e pioram com os movimentos da cabeça. Apesar de afetarem a vida de milhares de portugueses, muitos continuam, todavia, a não as conseguir distinguir convenientemente.

"As vertigens de causa neurológica são mais graves e habitualmente devem-se a lesões vasculares ou tumorais. Nos casos de origem vascular, as vertigens associam-se a outros sintomas que surgem também de modo súbito como nas vertigens de causa periférica, do ouvido, mas a evolução é totalmente diferente. Um exemplo são os enfartes do tronco cerebral, situações potencialmente fatais que exigem cuidados especializados", alerta Belina Nunes.

Quando procurar um neurologista

No caso de sentir vertigens ou tonturas com alguma regularidade, não espere muito tempo para consultar um especialista. "Se os episódios de vertigem são repetidos e se foram excluídas causas de otorrinolaringologia, o doente deve procurar a opinião de um neurologista, que procederá a uma investigação de potenciais causas de origem central, como é o caso das lesões vasculares, das lesões tumorais ou das lesões inflamatórias, entre outras", refere a neurologista.

Texto: Nazaré Tocha com Belina Nunes (médica neurologista)

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.