A Vasculite é uma doença autoimune rara e a maioria dos seus sintomas é comum a outras doenças.

No entanto, a persistência e a combinação de alguns sintomas levam os médicos a suspeitar de Vasculite, que é confirmada com recurso à Medicina Laboratorial. Exames de sangue e de urina integram a rotina de diagnóstico:

  • Hemograma – contagem dos glóbulos do sangue (vermelhos, brancos e plaquetas). A Vasculite pode provocar anemia devido à redução da produção de glóbulos vermelhos. Maior concentração de plaquetas (responsáveis pela coagulação do sangue) ou de glóbulos brancos (importantes na resistência a infeções) são comuns à Vasculite;
  • Velocidade de Sedimentação - mede a velocidade com que as células suspensas no sangue sedimentam, quando são deixadas no tubo de ensaio, indicando o grau da infeção;
  • Proteína C Reactiva – é produzida pelo fígado em resposta à inflamação sistémica. Níveis elevados são sugestivos de infeção;
  • Aspartato Aminotransferase (AST) - é uma enzima encontrada principalmente no fígado, coração e músculos e é libertada para a circulação sanguínea após lesão ou morte das células. Se algum destes órgãos apresentar lesões, a AST atinge valores elevados no sangue. A quantidade de AST no sangue é medida através de um teste enzimático. Quanto maior for a atividade, maior é a presença da enzima no organismo. Se a enzima estiver presente no sangue em maior quantidade, indica que o fígado, os músculos ou os rins apresentam lesões.
  • Urina - Uma amostra é analisada para verificar a presença de glóbulos vermelhos e proteínas. Os resultados ajudam a determinar se os rins foram afetados, informação crucial porque a inflamação renal pode causar graves danos antes do desenvolvimento dos sintomas.

Estes exames laboratoriais são os principais no diagnóstico da Vasculite e os que todos os pacientes com a doença devem realizar periodicamente. Outras análises laboratoriais mais específicas devem ser requisitadas quando há suspeita de algum tipo particular de Vasculite, por exemplo anticorpos anti-citoplasma de neutrófilos (ANCA).

A biópsia é dos exames mais importantes para o diagnóstico definitivo de Vasculite. É retirada uma amostra do tecido afetado (artéria temporal, pele, rim ou nervo) para observação microscópica e caracterização das alterações verificadas.

Um artigo de Maria José Rego de Sousa, Médica, Doutorada em Medicina, Especialista em Patologia Clínica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.