À medida que a idade avança, o organismo sofre alterações progressivas que reduzem a sua capacidade de resposta à doença e a agentes externos, tornando-se mais sensível às reações adversas dos medicamentos, obrigando à sua escolha cautelosa e ao ajuste de doses. Assim, há medicamentos que devem ser evitados nos idosos, outros que podem ser utilizados mas sob vigilância aumentada e outros que requerem doses mais baixas para serem seguros.

Para aumentar a segurança no uso do medicamento, há algumas regras a seguir pelo idoso:

- Informar o médico sobre os medicamentos que está a tomar é um dos primeiros gestos. Caso esteja medicado, não tomar outros medicamentos sem conhecimento médico.

- Quando tomar medicamentos adquiridos sem receita médica, deve também informar o farmacêutico sobre os medicamentos que está a tomar.

- Obedecer às doses receitadas e à duração do tratamento recomendado é outra das recomendações.

- Informe imediatamente o médico aos primeiros sinais de reação adversa.

«Chamo à atenção particular de medicamentos calmantes que reduzem a capacidade de reação e equilíbrio, que devem ser evitados por estarem relacionados com quedas frequentes, fraturas ósseas e diminuição das capacidades cognitivas e de atenção. Só devem ser tomados ocasionalmente e durante poucos dias (até uma semana)», adverte ainda Maria Augusta Soares, professora na Faculdade de Farmácia
da Universidade de Lisboa.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.